ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, TERÇA  23    CAMPO GRANDE 31º

Cidades

Novembro indica tendência de alta de casos de dengue e acende alerta em MS

Até agora, MS registrou 40 mortes por conta da doença

Por Silvia Frias | 25/11/2023 14:01
Proliferação do mosquito encontra ambiente perfeito nas altas temperaturas e chuva (Foto/Divulgação)
Proliferação do mosquito encontra ambiente perfeito nas altas temperaturas e chuva (Foto/Divulgação)

Mato Grosso do Sul apresenta tendência de alta nos casos de dengue, conforme os boletins epidemiológicos do mês de novembro. Entre o dia 1º e a última contagem, o índice de crescimento é de 1,06%. Até agora, foram 40 mortes por conda da doença no Estado.

Embora o índice seja baixo, já é considerado de alerta, por conta do tempo propício para proliferação do mosquito Aedes aegypti: altas temperaturas e muita chuva.

O resultado disso está no boletim da secretaria: Entre os 79 municípios de Mato Grosso do Sul, 74 deles classificam-se com alta incidência de casos prováveis, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Ribas do Rio Pardo, Terenos, Paranaíba e Tacuru apresentam incidência média, enquanto apenas Aparecida do Taboado atinge baixa incidência.

Segundo último boletim da SES (Secretaria Estadual de Saúde), divulgado no dia 21 de novembro, MS registrou 40.273 casos confirmados da doença. No dia 14, foram 40.146 casos no Estado. Na semana anterior, foram 39.997 registros, que já indicava alta em relação ao boletim anterior, de 39.997.

Segundo a enfermeira da SES, Bianca Modafari Godoy, a doença pode atingir todas as idades, com gravidade e impactos que podem variar. Além disso, crianças, idosos e pessoas com sistema imunológico vulnerável representam os grupos mais afetados pela dengue.

 “Isso ocorre porque esses grupos podem ter mais dificuldade em lidar com a infecção e desenvolver complicações graves devido à resposta do sistema imunológico e a capacidade de combater o vírus limitada”.

Risco - Campo Grande, porém, segundo a prefeitura, a tendência é de queda. Conforme boletim da Gerência Técnica de Endemias do Serviço de Vigilância Epidemiológica da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), em maio, foram notificados 2.927 casos da doença. A partir daí, a queda foi acentuada. Junho (692), julho (552), agosto (525), setembro (353) e outubro (311).

A tendência, de acordo com a Sesau,é de que no mês de novembro os números sejam ainda menores. Até o dia 14 de novembro, data do último boletim, foram notificados 113 casos da doença. De 1º de janeiro ao dia 14 de novembro foram notificados 15.938 casos de dengue e seis óbitos provocados pela doença no município.

Segundo o coordenador de endemias, Vagner Ricardo dos Santos, a Capital está hoje num patamar de segurança em relação aos índices de infestação do mosquito, de forma geral. Alguns bairros, no entanto, apresentam elevação do número de casos e no índice de infestação, e estão recebendo maior atenção. Entre eles, estão Jardim Noroeste, Leblon, América, Portal Caiobá e Parque dos Poderes.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias