ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  09    CAMPO GRANDE 13º

Cidades

País cresce apesar da pandemia, afirma Bolsonaro

Em seu discurso, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que Brasil subiu da 13ª para a 10ª economia do mundo

Por Ana Paula Chuva | 30/06/2022 12:48
Presidente Jair Bolsonaro (PL) durante discurso nesta quinta-feira. (Foto: Marcos Maluf)
Presidente Jair Bolsonaro (PL) durante discurso nesta quinta-feira. (Foto: Marcos Maluf)

“Não foi fácil. Ninguém enfrentou o que nós presidentes, prefeitos e governadores enfrentamos nesses dois anos de pandemia”, disse o presidente Jair Bolsonaro (PL), durante a cerimônia de entrega dos 300 apartamentos do Residencial Jardim Canguru, em Campo Grande, nesta quinta-feira (30).

Durante o discurso, Bolsonaro fez um balanço dos três anos e meio de governo e citou que dois deles foram atingidos pela pandemia de covid-19, o que aumentou ainda mais a dificuldade de administrar o país.

“Nós sabemos a dificuldades que passamos diante de algo que ainda continua até hoje como um risco. Entramos 2020 com a questão da pandemia, com a política do fica em casa a economia a gente vê depois, a política do lockdown a economia apontava para o colapso”, afirmou Jair.

Auxílio providencial – Em seguida, em seus poucos mais de 20 minutos de fala, Bolsonaro afirmou que durante seu governo atendeu os mais humildes com o Auxílio Emergencial, que foi concedido a 68 milhões de pessoas no país. Esta semana ainda será votado o aumento do Auxílio Brasil para R$ 600 e que isso ajuda também os prefeitos, já que a economia roda em cima desse recurso.

“Àqueles que falam que o nosso governo não tinha sensibilidade para com os mais humildes, só em 2020 gastamos com o auxílio emergencial o equivalente a 15 anos de Bolsa Família, depois criamos o Auxílio Brasil e o Bolsa Família que valia R$ 190 passou a valer no mínimo R$ 400. O parlamento está votando nesta semana a majoração desse recurso”, afirmou.

O presidente ainda afirmou que com a criação do Pronamp (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte) e do Bem (Benefício Emprego e Renda), o país terminou 2020 com um pequeno saldo positivo de carteiras assinadas e seguiu reagindo.

“Em 2021 a economia começou a reagir para valer. Foram criados quase 3 milhões de novos empregos e neste ano de 2022 já batemos o recorde da série histórica na quantidade de carteiras assinadas no Brasil. Os informais já voltaram quase a sua totalidade para as suas atividades e, há poucas semanas, tivemos a notícia de que o Brasil saltou da 13ª para a 10ª economia do mundo”, declarou Jair.

Por fim, o presidente encerrou o discurso agradecendo aos parlamentares da bancada de Mato Grosso do Sul. “Ninguém faz nada sozinho e alguns parlamentares de MS tem nos ajudado bastante, cito aqui a deputada federal Tereza Cristina e os deputados federais Luiz Ovando e Trutis”, finalizou.

Nos siga no Google Notícias

Veja Também