ACOMPANHE-NOS    
MAIO, TERÇA  26    CAMPO GRANDE 

Cidades

Testes de pacientes que morrem com suspeita de coronavírus passam na frente

Mesmo se o resultado não sai antes do sepultamento, velório e enterro têm de ser medidas anticontágio

Por Anahi Zurutuza | 02/04/2020 19:25
Funcionários de funerária de Três Lagoas paramentados para enterro de idoso que morreu na cidade (Foto: Perfil News)
Funcionários de funerária de Três Lagoas paramentados para enterro de idoso que morreu na cidade (Foto: Perfil News)

Testes para detectar o coronavírus em pacientes que morrem após apresentarem sintomas respiratórios têm prioridade no Lacen (Laboratório Central de Mato Grosso do Sul). Mas, mesmo se o resultado não sai antes do sepultamento, velório e enterro têm de seguir os protocolos anticontágio.

Nesta quinta-feira (2), três pessoas morreram com suspeita da doença em Mato Grosso do Sul. Um caso, de um rapaz de 21 anos de Dourados, foi descartado horas depois do sepultamento, com caixão lacrado e despedida à distância.

Também hoje, um homem de 60 anos morreu em Três Lagoas após dar entrada em unidade de saúde com tosse seca e dificuldade de respirar, e em Campo Grande, um jovem de 29 anos morreu no CRS (Centro Regional de Saúde) do Bairro Aero Rancho após reclamar de falta de ar, dor torácica e ter uma parada cardiorrespiratória.

Segundo a SES (Secretaria de Estado de Saúde), os dois últimos casos nem tinham entrado na lista de suspeitos, mas como os pacientes tiveram sintomas de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave), foram coletadas amostras para exames que tentarão detectar 9 vírus respiratórios, incluindo influenza e o coronavírus. Os casos só serão contabilizados no boletim epidemiológico se confirmadas as contaminações pelo novo vírus.

De qualquer maneira, nestas situações, a recomendação é que funerárias e cemitérios sigam os protocolos estabelecidos em resolução publicada na página 9 do Diário Oficial do Estado do dia 23 de março, baseada em orientações da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).