ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  25    CAMPO GRANDE 34º

Cidades

Uso de máscara deve continuar por um bom tempo, avisa secretário

Secretário de Saúde citou exemplo da Ásia e disse acreditar que hábito deve continuar para proteção coletiva

Por Adriel Mattos | 26/07/2021 17:01
Secretário de estado de Saúde, Geraldo Resende. (Foto: Paulo Francis)
Secretário de estado de Saúde, Geraldo Resende. (Foto: Paulo Francis)

Com a meta de atingir a imunidade coletiva por meio da vacinação contra Covid-19 no fim de agosto, o secretário de estado de Saúde de Mato Grosso do Sul, Geraldo Resende, disse nesta segunda-feira (26) que alguns costumes adquiridos durante a pandemia devem permanecer mesmo após o controle da doença. A declaração foi durante solenidade de entrega de viaturas no Parque dos Poderes.

“Estamos trabalhando para ter 80% da população vacinada com as duas doses, com a adesão que temos hoje, para o fim de agosto. A volta à normalidade completa, vamos ter que repensar. Vamos entender que muito do que foi aplicado vai continuar. O uso de máscara, nos países asiáticos, se usa como rotina. Aqui fizemos isso na pandemia, mas lá [na Ásia] o cidadão usa não só se proteger, mas para proteger as pessoas ao seu entorno”, explicou.

No continente asiático, o uso de máscara faz parte da cultura durante surtos de doenças respiratórias ou mesmo quando as pessoas têm quadros gripais a qualquer época do ano.

Sobre as restrições impostas devido à pandemia, o governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), disse que o comitê do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança da Economia) vai decidir sobre a retomada da normalidade.

“Vamos seguir o Prosseguir. A bússola que norteia as ações do Estado sobre a pandemia é o Prosseguir. Ali tem pessoas ligadas à Opas, a Organização Pan-Americana de Saúde; nossos infectologistas e equipes integradas do governo. Se a gente vacinar mais, poderemos sair mais cedo dessas restrições”, ponderou.

Reinaldo evitou dar prazo e demonstrou preocupação com as variantes do novo coronavírus e a recusa da vacina. “Essas novas variantes estão aí e temos algumas pessoas que não se vacinaram e isso é preocupante. Acho que seguir o Prosseguir é seguir a ciência. Vamos seguir o Prosseguir para ver qual o momento de relaxamento e retirada de algumas restrições”, completou.

Dados do portal Mais (Monitor de Apoio às Informações de Saúde), da SES (Secretaria de Estado de Saúde), apontam que 31,43% da população já tomou duas doses ou dose única da vacina. 56,01% recebeu até o momento pelo menos uma dose.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário