ACOMPANHE-NOS    
JULHO, DOMINGO  03    CAMPO GRANDE 30º

Cidades

Vacinação contra covid em adolescentes deve ser imediata em MS

Estratégia de vacinação é de responsabilidade de cada município, que organizam os próprios calendários

Por Gabrielle Tavares | 28/05/2022 10:37
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Após nota técnica que libera a 3º dose para adolescentes de 12 a 17 anos divulgada na noite de ontem (28), a SES (Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul) informou que as aplicações da dose de reforço nos adolescentes devem começar de forma imediata para quem tomou a segunda dose com os imunizantes da Pfizer ou Coronavac.

Apesar da autorização nacional e estadual, a estratégia de vacinação é de responsabilidade de cada município, que organiza o próprio calendário vacinal.

Além disso, a SES ressaltou ainda que o Ministério da Saúde deve encaminhar novas remessas de imunizante para atender este público dentro da Campanha Nacional de Imunização contra a Covid-19.

Nota técnica - Anteriormente, apenas população acima dos 18 anos podia receber o reforço.

O intervalo entre a segunda e terceira doses deve ser de quatro meses, assim como já vinha sendo deliberado nos demais grupos.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recomenda a aplicação das vacinas Pfizer e Coronavac para essa faixa etária, mas de acordo com a nota técnica, a preferência deve ser pela Pfizer, independente da dose aplicada anteriormente.

A mesma recomendação também vale para adolescentes gestantes e puérperas. Já no caso de adolescentes imunocomprometidos, apenas a vacina da Pfizer deve ser utilizada. As vacinas AstraZeneca e Janssen não foram autorizadas para a faixa etária de 12 a 17 anos.

O Ministério da Saúde também orienta a população acima de 60 anos e pessoas imunocomprometidas a tomarem a segunda dose de reforço quatro meses após a primeira.

A nota técnica do Ministério foi assinada pela secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid, Rosana Leite de Melo, ex-diretora do HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul), e pelo diretor do programa da Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid, Danilo de Souza Vasconcelos.

Nos siga no Google Notícias