ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUARTA  08    CAMPO GRANDE 15º

Cidades

Engenheiro que trabalhou em MS é um dos desaparecidos "na lama" em MG

Vinicius Henrique Leite Ferreira foi gerente de portos em uma das instalações da Vale em Corumbá

Por Adriano Fernandes | 26/01/2019 21:04
Do alto, rio de rejeitos que destruiu vegetação e "varreu" município do mapa. (Foto: Reprodução/AgênciaBrasil/Corpo de Bombeiros/Divulgação)
Do alto, rio de rejeitos que destruiu vegetação e "varreu" município do mapa. (Foto: Reprodução/AgênciaBrasil/Corpo de Bombeiros/Divulgação)

Na lista de 265 desaparecidos após o rompimento da barragem de rejeitos no Córrego do Feijão em Brumadinho (MG) nesta sexta-feira(25), está um engenheiro civil que já trabalhou em um dos portos hidroviários da Vale em Corumbá.

Vinicius Henrique Leite Ferreira é mineiro, mas em 2012 foi transferido para o Porto Gregório Curvo em Porto Esperança, uma das instalações da Vale na cidade.

Conforme o seu perfil profissional em rede social, na unidade, ele atuou por cerca de sete anos e 1 mês como gerente de portos até retornar para Minas Gerais, onde, atualmente trabalhava na mineradora de Brumadinho. 

Da época em que atuou em MS, ficou a amizade com um engenheiro que fez contato com a redação, mas preferiu não se identificar.

Vinicius Henrique Leite Ferreira está entre os desaparecidos na tragédia. (Foto: Reprodução/Linkedin)
Vinicius Henrique Leite Ferreira está entre os desaparecidos na tragédia. (Foto: Reprodução/Linkedin)

“Trabalhamos juntos no período em que ele ficou por aqui e desde então éramos amigos. A última vez que conversamos foi na quinta-feira (24), um dia antes do rompimento da barragem”, comentou.

Lista – Até o momento a Vale divulgou o nome de 265 pessoas, entre funcionários e terceirizados da empresa com quem não conseguiu fazer contato. A lista com os nomes é atualizada constantemente conforme as pessoas são localizadas, e pode ser acessada por este link.

Pelo menos 34 pessoas morreram, sendo que oito já foram identificadas. Foram resgatadas 366 pessoas, sendo 221 funcionários da Vale e 145 terceirizados. Desse total, 23 estão hospitalizados, conforme a Agência Brasil.

Tragédia - O rompimento da barragem de rejeitos B1 ocorreu por volta das 12h (MS) de ontem (25), na Mina Córrego do Feijão em Brumadinho. A lama atingiu uma área administrativa da companhia e parte da comunidade de Vila Ferteco.

A Defesa Civil Nacional, reconheceu o estado de calamidade pública em Brumadinho. Devido ao incidente, o Ibama multou hoje (26) a mineradora Vale em R$ 250 milhões.