A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

30/01/2014 11:08

A quatro meses da Copa, as belezas do Estado ainda não atraíram turistas

Luciana Brazil
Belezas naturais de Bonito são esperança para atrair turistas na Copa. (Foto: Divulgação)Belezas naturais de Bonito são esperança para atrair turistas na Copa. (Foto: Divulgação)

Faltando apenas quatro meses para o início da Copa do Mundo no Brasil, a notícia não é tão animadora para o turismo no Estado. A maioria dos hotéis e agências de turismo em Campo Grande e no interior não recebeu ainda reservas para o período.

A esperança era de que, apesar da Capital não ter sido escolhida para ser sede da Copa, os atrativos, como Pantanal e Bonito, pudessem atrair turistas brasileiros e estrangeiros.

Alguns até acham que ainda é cedo para avaliar, porém, o discurso é unânime: o movimento será inexpressivo.

“Mesmo que durante o evento tenha movimento, será muito pequeno, nada expressivo. As pessoas não vão se distanciar muito de onde vão assistir aos jogos”, disse o auxiliar administrativo do hotel Tapera, em Bonito, Salvio José dos Santos, 36 anos. Até agora, nenhuma reserva para a época do mundial foi feita.

Para a proprietária da agência de turismo Condor, em Campo Grande, Isa Insuelo, os pacotes ficaram na “mão” de poucas operadoras, ou seja, agências que adquiriram ingressos para os jogos vão oferecer amplas opções aos clientes. “O movimento será muito pouco para as agências daqui”, avalia.

No hotel Zagaia, um dos mais requisitados de Bonito, por enquanto a movimentação para o período da Copa ainda nem existe, segundo o responsável pela Central de Reservas, Alessandro Oliveira.

Oliveira, disse que os turistas deverão aproveitar para conhecer os locais próximos de onde irão assistir aos jogos.

“Eles já vão estar com hotel pago, com tudo pago, não vão para longe. Dos que vão para Cuiabá, quase ninguém deverá vir para cá. Quem for para lá vai conhecer o Pantanal que tem lá”.

Entre os turistas, apenas 5% são estrangeiros, segundo Oliveira.

O consultor de vendas da empresa de turismo Premier, em Campo Grande, acredita que a previsão possa ser um pouco melhor. “Até o momento não teve nenhum movimento nesse sentido, mas queremos acreditar que será diferente”.

Segundo ele, pelo menos para os turistas brasileiros, janeiro pode ser cedo para avaliar. “Tem muita gente viajando, as pessoas só começam a retornar no dia 25. Então, pode ser que mais pra frente tenhamos alguma reserva”, diz esperançoso.

Parecendo ser exceção, no Novotel, na Capital, um grupo de 28 casais de São Paulo já fez reserva para o período da Copa. A gerente de contas, Keila Carriço, 31 anos, lembra ainda que uma operadora internacional já procurou o hotel solicitando o preço das tarifas em dólar.

“Na maioria dos casos, a solicitação de reserva é feita com dois meses de antecedência, a não ser que seja um grupo grande. Por isso, acho que em março talvez a gente já possa ter mais alguma coisa, eu espero".

O turismo no Estado se pergunta se a decepção de perder a vaga como sede para a capital do Mato Grosso, será ainda mais amarga.

Oportunidade- Mas para quem não depende de turista, a Copa do Mundo no Brasil pode ser uma chance de fazer novos negócios ou estreitar a relação com clientes internacionais.

A empresa Ecomáquinas, que exporta equipamentos para fabricação de tijolos de forma sustentável, vai usar as belezas do Estado para atrair os clientes estrangeiros.

“Vamos aproveitar para trazer os clientes até à indústria, onde ele vão conhecer nossas instalações. É uma forma de divulgar”, disse a diretora comercial Mariluce Marques.

A empresa vai levar 30 empresários, que estarão no país no período da Copa, para conhecer Bonito e também o Pantanal. “Todos os passeios e o hotel serão pagos por nós. Estamos fazendo até um site específico para isso”.

Há 10 anos no mercado e exportando para 47 países, a empresa quer ampliar ainda mais a lista de clientes internacionais. “Isso serve para atrair novos empresários, com certeza”.

Por enquanto, empresários de cinco países já confirmaram a visita à empresa, Romênia, México, Peru, Argentina e Cabo Verde .

Mega-Sena acumula de novo e prêmio estimado sobe para R$ 43,5 milhões
Mais uma vez a Mega-Sena ficou sem vencedor na faixa principal e, com isso, a premiação acumulou e pode chegar a R$ 43,5 milhões no próximo concurso,...
Mega-Sena pode pagar R$ 39 milhões no sorteio deste sábado
A Mega-Sena deste sábado (16), que está acumulada, pode pagar R$ 39 milhões para quem acertar os seis números. O concurso 1.997 ocorre às 20 horas, h...


Mato Grosso do Sul e lindo, mais o que não favorece e a data da copa, porque e uma época de inverno apesar de não fazer tanto frio aqui, mais as águas dos rios são muito geladas então o lugar mais procurado no Brasil vai ser o Nordeste com uma temperatura media da água entre 20º á 25º graus.
 
Luciano Petiz em 30/01/2014 13:37:35
KKKKKKKKKKKKK..COMO VAI ATRAIR TURISTAS SE É MAIS CARRO FICAR UMA SEMANA EM BONITO DO QUE 15 DIAS EM QUALQUER OUTRO PONTO TURISTICO DO BRASIL..
 
WILSON ARAUJO em 30/01/2014 13:32:42
Isso é resultado da falta de divulgação do nosso estado por parte do governo estadual e dos municípios que possuem essas belezas naturais. Uma grande carta na manga que teríamos seria a inauguração do Aquário do Pantanal antes da Copa, que acabou sendo um tiro no pé e só vai servir para "engrandecer" a administração do atual governador. Ao invés de fazerem uma divulgação intensa em midia nacional, os governantes só pensam em divulgar as belezas da região com esses "monumentos" ridículos que tem por toda a capital! Não existe coisa mais bizarra que a "Praça do Pantanal" na sede da Prefeitura! Jacaré que parece lagartixa, onça que parece gato, capivara que parece cavalo. Até no interior se faz coisa melhor! E não deve ter custado pouco aquela coisa medonha!
 
Ricardo Boretti em 30/01/2014 13:20:18
O problema é falta de criatividade, de infraestrutura básica como serviços públicos como estradas, sinalizaçao, gente habilitada na prestaçao do serviço, preços exorbitantes, enfim, inaptidão para gerar dividas, recursos. Nós, do Estado, padecemos desse mal que vai desde o(s) governante(s) dos tres níveis até o empresariado. Necessitamos alguém na Seprotur mais capacitado, mais sintonizado, que possa sacudir o setor. Potencial há porém também deve-se sair um pouco do "circuito" bonito-bodoquena-pantanal. O Estado não é só isso. As faculdades de turismo (que deveriam preparar melhor) estão às moscas. Faltam estradas (fora do circuito), falta coordenação por parte dessa Secretaria, enfim, uma urgente radiografia é urgente e veja que mesmo assim o turismo cresce de 7% a 15% ao ano!!!
 
Joao Alberto Gomes e Silva em 30/01/2014 12:09:12
Talvez a razão seja a falta de investimento em infraestrutura por parte do próprio Estado (incluem-se aí também a União e os municípios). A natureza de Bonito é uma maravilha, mas a infraestrutura da cidade deixa a desejar em muitos aspectos. A cidade está envolta em mato e, as poucas ruas de "asfalto", estão tomadas pelos buracos e pela falta de sinalização adequada. O mesmo vale para Corumbá, Miranda, Aquidauana (cujo Parque da Lagoa Comprida, por exemplo, que deveria ser um cartão postal, está às moscas)... nem sequer Campo Grande escapa do abandono e do descaso por parte do Poder Público. Outro ponto que deixa a desejar é o atendimento nos estabelecimentos e nas prestações de serviços, muitas vezes sem a devida atenção e educação. Isso, sem falar nos preços abusivos. Lamentável.
 
Daniel Albuquerque em 30/01/2014 11:33:59
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions