A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

24/10/2013 09:47

À revelia do CRM, ministério dá registro para médicas atuarem em MS

Aline dos Santos

O Ministério da Saúde emitiu registro único para que duas profissionais selecionadas pelo programa “Mais Médicos” e com formação no exterior atuem em Mato Grosso do Sul. As médicas são Silvanna Canazilles Alves, lotada em Campo Grande, e Silvia Carolina Ruiz Mendizabal, que vai atuar em Corumbá. Hoje, o ministério publicou lista com 656 médicos intercambistas, que terão direito ao registro e à carteira de identificação.

Com a publicação da Lei 12.871, que rege o programa, o Ministério da Saúde emitirá número de registro único para cada médico intercambista. O CRM (Conselho Regional de Medicina) será informado pelo coordenação do projeto e poderá fiscalizar seu trabalho.

A decisão de o próprio ministério emitir o registro foi adotada para driblar a resistências dos conselhos regionais de medicina. “O governo dá registro para médico vindo do exterior. Infelizmente, não sabemos qual a sua formação, se estão capacitados”, afirma o presidente do CRM/MS (Conselho Regional de Medicina), Alberto Cubel Brull Junior.

Segundo ele, o médico formado no exterior precisa passar pelo Revalida (Revalidação do Diploma) para ter direito ao registro no conselho. “Trouxeram médicos de fora, de Cuba, que não conseguem passar no Revalida, não têm capacidade. Para as pessoas pobres, vamos dar médicos de segunda categoria”, diz, em forte oposição ao programa do governo federal.

Conforme o presidente, o registro do ministério permite somente a atuação como médico na unidade em que o profissional for alocado. Caso ele atenda fora, pode ser considerado exercício ilegal da Medicina.

O governo federal tem a responsabilidade de levar o médico ao município, custear a bolsa de R$ 10 mil, a especialização e Previdência. Já as Prefeituras vão pagar pela moradia e alimentação.

Para CRM/MS, lei que divulga plantões serve para culpar médicos
Em nota oficial, o CRM/MS (Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso do Sul) lamentou a sanção da lei estadual que obriga hospitais e estabelecime...
Programa Mais Médicos atendeu mais de 24 mil pacientes em MS
Desde que entrou em vigor, o Programa Mais Médicos, do governo federal, já atendeu 25.150 pacientes em Mato Grosso do Sul, segundo o Ministério da Sa...
Bernal publica decreto que autoriza repasse a profissionais do Mais Médicos
Por meio do decreto 12.208, de 4 de outubro, o prefeito Alcides Bernal (PP) autorizou repasse financeiro de R$ 1,8 mil aos profissionais que integram...
CRM/MS analisa pedido de dois médicos estrangeiros no Estado
O CRM/MS (Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso do Sul) recebeu o pedido de duas médicas estrangeiras, que vieram trabalhar no Estado por meio...


O que se expressa na atitude de alguns médicos, que desconsideram a formação do médico cubano e não dos médicos formados na Europa pode-se dizer que são acometidos da síndrome do mazombismo. Por ora, ainda não se encontrou cura para essa doença. Espero que os médicos, sejam cubanos ou não que aqui aportarem possam aos poucos injetar a vacina do compromisso, da dedicação e do interesse pelo que realmente o paciente precisa tornando-o presente com o nome e não com o número...
 
Lusanildo Rodrigues de Almeida em 24/10/2013 14:06:46
Pergunta pro cara que mora na periferia de uma cidade do interior do nordeste ou do norte o que ele acha dessa história. Porque são eles os carentes de atendimento. Inúmeros editais são lançados para pagarem fortunas para os médicos irem trabalhar lá e nenhum vai. Infelizmente a gente precisa de médico, porque está pra nascer profissional mais mercenário que tal. E realmente, se fizer REVALIDA para os que se formam aqui, nem metade passaria.
 
Laura Castellani em 24/10/2013 13:54:36
O que precisa no Brasil é fazer um revalida moral no corporativismo, pois:
1- O CRM é contra a importação de médicos mas não se pratica nenhuma ação favorável para coibir a atitude deplorável e imoral de alguns pares que recebem plantão (principalmente no período noturno) e não comparecerem para atender a população, seja a que procura as Unidades Básicas de Saúde seja a que procura os convênios. REVALIDA NELES;
2- A atitude do CRM deveria ser ao contrário, apoiar a vinda de mais médicos, primeiro pela escassez no mercado, segundo para substituir os médicos que não comparecem aos postos de trabalho para atender a população. Portanto além do corporativismo, há que se pensar não somente na população mas nos outros colegas médicos que honram com esmero a profissão e são sobrecarregados.
 
Lusanildo Rodrigues de Almeida em 24/10/2013 13:52:52
O ensino brasileiro forma medicos geralmente mediocres, e tem muitas instituições no mundo com melhor conceito que os daqui (embora que, realmente, existem graves problemas com medicos formados em por ex Bolovia e Paraguay) Em vez do CRM tratar todos os medicos formados no exterior como incompetentes (pois é isso que alegam) deveriam em vez da Revalida usar uma lista de instituições estrangeiros cuja diploma dá direito a reconhecimento. A melhor universidade no mundo na area de medicina é o Harvard, mas um medico formado la pode gastar anos (e uma fortuna) para poder trabalhar aqui: a Revalida tem pouco a ver com garantia de qualidade (nem verifica as diplomas daqui) e muito com reserva de mercado.
http://www.topuniversities.com/university-rankings/university-subject-rankings/2012/medicine
 
Marcos da Silva em 24/10/2013 12:43:33
Comentar notícias sobre medicina na verdade virou uma perda de tempo, pois só existem comentários cheios de ódio, de achismos. São surdos covsando com surdos, pois ninguém quer escutar o lado do médico, e os médicos se sentem injustiçados pelo ódio desproporcional de alguns. Mas a verdade é que se o revalida SERIA aplicado nos estudantes brasileiros esse ano. E 2 dias antes da prova, o governo ligou para os estudantes cancelando sua participação. Por quê, justo no ano em que só 8% dos estrangeiros foram aprovados, ano no qual o governo demorou mais de 1 mês pra liberar os resultados? Porque a aprovação dos estudantes brasileiros que se inscreveram seria alta. E ponto. Porque o exame não é difícil, é passável, e SE OS BRASILEIROS FIZESSEM PASSARIAM. E o governo teve medo de aplicar. Ponto.
 
Maria de Moraes em 24/10/2013 12:31:45
Vocês médicos brasileiros deveriam fazer também o Revalida. Vamos ver se a maioria de vocês passam nesse exame. Pelo que vemos nos noticiários e na mídia, os erros médicos cometidos por médicos brasileiros formados aqui no Brasil são assustador e dificilmente sofrem punições pelo CRM.
 
Moacir Torres em 24/10/2013 11:18:34
Existindo vagas sem preenchimento por médicos brasileiros , porque não ocupá-las com estrangeiros ?
O que dizer daqueles profissionais estrangeiros e brasileiros que desenvolvem a medicina preventiva , deslocando-se para junto da população mais carente , desafogando com isso os postos e hospitais superlotados.
Revalida ? E as baixíssimas notas dos que estão sendo formados nas faculdades brasileiras de medicina !
Os problemas na área da saúde nacional são vários, e devem ser atacados , um a um , sem paixões e corporativismo , mas com ética , profissionalismo , humanidade e justiça.
 
Max Lima em 24/10/2013 11:13:50
Faço das palavras do Sr. Marco Antonio as minhas.
Está faltando médico no Brasil, inclusive na rede particular...
 
Ana Maria Gomes em 24/10/2013 10:55:24
Conselhos só servem para arrecadar e atrapalhar quem quer trabalhar.!
 
Sergio Lima em 24/10/2013 10:53:29
Conselhos só servem para arrecadar e atrapalhar quem quer trabalhar..!
 
Sergio Lima em 24/10/2013 10:52:20
Que comentário infeliz desse "doutor" (que eu duvide que tenha doutorado!), é interessante perceber que se a formação dos profissionais em Medicina no Brasil fosse garantia de primazia, não haveria tantos casos de ERROS MÉDICOS.
 
JESSICA MACHADO em 24/10/2013 10:28:07
E mais, acredito piamente que se os médicos formados no Brasil se dispusessem a fazer o exame Revalida, a maioria nao passaria tb
 
marco antonio em 24/10/2013 10:00:22
Em primeiro lugar nao trouxeram médicos apenas de Cuba, vieram espanhois, portugueses etc, mas interessante que apenas os cubanos estao sendo hostilizados...Em segundo lugar o Revalida nao avalia absolutamente nada....médicos de segunda categoria??? que dizer dos médicos de terceira categoria que hj nem atender a população querem???
 
marco antonio em 24/10/2013 09:58:08
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions