ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  26    CAMPO GRANDE 24º

Cidades

Apreensão de cocaína dá prejuízo de R$ 15,8 milhões em 20 dias

Por Mariana Lopes | 20/11/2013 16:58
Os 200 quilos de cocaína estavam nos fundos falsos de uma F-350. A droga, avaliada em R$ 6 milhões, seria transportada até Uberlândia, em Minas Gerais. (Foto: PF)
Os 200 quilos de cocaína estavam nos fundos falsos de uma F-350. A droga, avaliada em R$ 6 milhões, seria transportada até Uberlândia, em Minas Gerais. (Foto: PF)

Em 20 dias, a Polícia Federal totalizou 526,6 quilos de cocaína apreendidos em Mato Grosso do Sul. Só neste mês, os traficantes acumulam prejuízo de R$ 15,8 bilhões, de acordo com cálculo feito pela PF de Ponta Porã, cidade que está na linha de fronteira com o Paraguai, de onde a droga sai e é distribuída pelo Brasil.

A última apreensão foi feita na noite de ontem (19), quando um mineiro de 53 anos foi preso com 200 quilos de cocaína, que estavam nos fundos falsos de uma F-350. Ele levaria a droga, avaliada em R$ 6 milhões, até Uberlândia (MG).

O condutor da caminhonete receberia R$ 20 mil para realizar o transporte da carga. Na barreira policial, ainda foram encontrados R$ 5.850 com ele. De acordo com a Polícia Federal, estima-se que esta foi uma das maiores apreensões de cocaína realizadas em Mato Grosso do Sul neste ano.

Na última segunda-feira (18), um músico de 39 anos foi preso na BR-262, em Campo Grande, na saída para Três Lagoas, com 75 quilos de cocaína. O volume da droga poderia render ao tráfico até R$ 1,5 milhão.

No dia 12 deste mês, a Polícia Federal realizou outra apreensão pesada de cocaína. Um empresário de 31 anos, morador de Ponta Porã, a 323 quilômetros da Capital, foi preso em flagrante. Ele transportava 144 quilos da droga no interior de uma Hillux, com placas de Catanduva (SP).

Pelo transporte, o empresário recebeu R$ 3 mil adiantados e posteriormente ganharia mais R$ 2 mil em depósito. Só a cocaína estava avaliada em R$ 720 mil. Em São Paulo, a droga poderia render, no mínimo, cerca de R$ 2,8 milhões.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário