ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, TERÇA  15    CAMPO GRANDE 16º

Cidades

Associação de oficiais militares em MS é contra greve da categoria no país

Por Elverson Cardozo | 11/02/2012 00:31

Órgão afirma que a disseminação de movimentos radicais não será incentivado em Mato Grosso do Sul

A ABSSMS (Associação Beneficente dos Subtenentes, Sargentos e Oficiais de Mato Grosso do Sul), oriundos do quadro de sargentos policiais e bombeiros militares, se posicionou contrária à greve da categoria na Bahia e no Rio de Janeiro. Para a entidade, a disseminação de movimentos radicais sob o pretexto de reivindicar direitos não será incentivada no Estado. A luta por melhores condições de trabalho, por legalidade e legitimidade, será mantida por meio do diálogo.

Apesar de classificar como “absurda” a disparidade salarial entre militares e bombeiros, a ABSSMS afirma que a paralisação é lamentável e carece de legalidade.

“É inegável que a greve serve tão somente para manchar a imagem dos estados membros e do país no cenário nacional e internacional, além de desencadear uma onda de repulsa social que tanto admira e enxerga no policial e no bombeiro militar, agentes públicos com alto índice de aceitação e confiabilidade”, diz trecho da nota de esclarecimento publicada no site da entidade.

No documento, o presidente da associação e subtenente da PM (Polícia Militar, Thiago Monaco Marques, pede aos servidores que não se deixem levar pelo “Canto da Sereia, “onde oportunistas de plantão e pseudo-representantes de classes possam se valer do momento trágico para, num futuro próximo, buscarem suas pretensões políticas pessoais”.

Em outro trecho, o órgão afirma que o diálogo com autoridades legalmente constituídas será mantido em busca de conquistas, seja por melhores salários condições de trabalhos, carga horária e ascensão profissional.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário