A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

19/09/2014 11:43

“A vingança virá de Deus”, diz pai de menina morta pelo padrasto

Aliny Mary Dias e Francisco Júnior
Criança morreu depois de ter sido agredida e estupro só será confirmado após exames (Foto: Reprodução/Facebook)Criança morreu depois de ter sido agredida e estupro só será confirmado após exames (Foto: Reprodução/Facebook)
Pai está abalado e não pensa em vingança contra homem suspeito de matar filha (Foto: Marcelo Calazans)Pai está abalado e não pensa em vingança contra homem suspeito de matar filha (Foto: Marcelo Calazans)

A vida de Anderson de Giuli mudou às 18 horas de ontem (18), quando a notícia da morte da filha de 2 anos, que a polícia suspeita ter sido agredida e estuprada pelo padrasto, chegou até ele. A perplexidade da brutalidade do crime veio acompanhada da tristeza e do vazio.

“Não tem como acreditar, tem um buraco dentro de mim, há um vazio”, desabafa o pai que hoje se transformou em um homem chocado, triste e abalado.

Anderson viveu por quatro anos com a mãe da filha e a separação ocorreu antes de ela se envolver com Fernando Floriano Duarte, 33 anos. O pai afirma que não tinha contato com o padrasto da filha, a única relação era por telefone.

A pequena de 2 anos via o pai com frequência, nos últimos dias, inclusive, a criança deveria ficar com Anderson, mas a mãe pediu para que ele mudasse a data e pegasse a filha nos próximos dias.

Sentimento compreensível em momento de tragédias como essa, a vingança não faz parte dos pensamentos do pai que perdeu a filha. “A vingança vai vir de Deus”, completa o homem que relata ainda que soube de agressões que a ex-mulher sofreu, mas nunca desconfiou que a filha pudesse ser vítima.

Crime - Fernando foi preso logo depois do crime e, ouvido na delegacia, negou ter agredido ou estuprado a menina e o enteado de 6 anos, a criança também possui hematomas pelo corpo. Fernando disse que estava limpando o jardim da casa onde vivia com os enteados e a mulher, mãe das crianças, quando a menina de 2 anos chegou e atrapalhou. Ele contou à polícia que mandou a criança ir para dentro da casa, foi aí, segundo ele, que a menina teria tropeçado e batido a cabeça no sofá.

Essa é a justificativa do suspeito para o grande hematoma encontrado na parte de trás da cabeça da menina. No entanto, os levantamentos iniciais da perícia dão conta de que há vários hematomas nos braços da criança. O enteado de 6 anos contou aos policiais que também foi agredido com um soco na boca, mas o suspeito nega. Depois do crime, o homem trocou de roupa, saiu de casa foi até um bar beber e ainda raspou a cabeça.

O velório deve acontecer em Bandeirantes, distante 70 quilômetros da Capital. O caso foi repassado à DEPCA (Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente) ainda hoje e Fernando foi encaminhado para um presídio da Capital.



A atitude desse pai de nem ir tirar satisfação na delegacia já mostra que não ama ninguém na vida...avi perdoar o padrasto por matar de forma agressiva um filho e esperar que seres imagináveis faça justiça...só rindo mesmo.
 
Eddie Alessandro Miranda Carvalho em 23/09/2014 09:29:21
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions