A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 23 de Abril de 2019

28/01/2019 11:03

"Punição ou demissão", diz prefeito aos médicos que descumprem escala

Chefe do Executivo reiterou o resultado do ponto eletrônico e que com ajuda do MP as fiscalizações devem melhorar

Danielle Valentim
Não há outra forma a não ser a abertura de sindicância, um devido processo legal, para se apurar o grau de culpabilidade desses profissionais, disse o Prefeito. (Foto: Marina Pacheco)"Não há outra forma a não ser a abertura de sindicância, um devido processo legal, para se apurar o grau de culpabilidade desses profissionais", disse o Prefeito. (Foto: Marina Pacheco)

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) declarou na manhã desta segunda-feira (28) que a única forma de solucionar a suposta ausência de médicos escalados para atendimento em UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) e CRSs (Centros Regionais de Saúde) de Campo Grande é a abertura de sindicância.

“Não há outra forma a não ser a abertura de sindicância, um devido processo legal, para se apurar o grau de culpabilidade desses profissionais. Em casos extremos gera a demissão e em outros, apenas, a punição”, pontuou.

Marquinhos relembrou que 50% dos pontos eletrônicos instalados para monitorar a entrada e saída de profissionais nas unidades foram danificados, mas que com ajuda do Ministério Público a fiscalização deve melhorar.

“A implantação de ponto começa a surtir efeito. É uma mudança de consciência e de mentalidade. Ninguém gosta de ser monitorado ou fiscalizado e ali nós tivemos uma retorsão de início, 50% dos pontos foram danificados, pedimos ajuda do Ministério Publico e agora a tendência é melhorar”, disse.

A instalação – Com os pontos instalados em 25 locais, O processo de cadastramento de servidores começou no início de agosto de 2018. Até o mês referido, 3,8 mil funcionários públicos da Sesau já estavam com os dados inseridos no sistema.

À época, a adaptação e efetivação do sistema – quando, além de atestarem frequência pelo sistema biométrico, os servidores ainda farão o controle manual, durou 15 dias. Além das unidades 24 horas, o ponto eletrônico foi instalado na sede da Sesau, Labcen (Laboratório Central), CEM (Centro de Especialidades Médicas), Almoxarifado e Vigilância Sanitária.

Controle – O ponto eletrônico atende a uma exigência do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), que obteve na Justiça, em 21 de junho de 2018, decisão obrigando a adoção da medida ante o fato de o município ter adquirido 700 equipamentos, mas ter instalado apenas os 25. A cobrança é para que todas as unidades da Sesau recebam o equipamento.

Conforme a prefeitura, o novo sistema é totalmente digital, representando uma evolução ao cartão de ponto e agilizando processos administrativos. Além disso, reforça-se que a definição dos locais que receberão os equipamentos já foi acertada com o MPMS.

“O sistema deve permitir ao setor de gestão de pessoas o benefício de possuir ferramentas que agilizem os processos da folha de pagamento, controle de horas trabalhadas, horas extras, entre outro” destacou o secretário.

O investimento nos aparelhos foi de R$ 145 mil. Outras 100 unidades devem ser adquiridas para atender a todas as unidades de rede e repartições, controlando a frequência dos cerca de 7 mil servidores da Sesau.



Já não temos medicos mesmos nos postos então porque não demitir esses que não cumpram as escalas, traz de Cuba,do Egito de onde for, mas resolva os problemas.
 
Eraldo Afonso Bento Afonso em 28/01/2019 13:40:01
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions