A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

23/01/2015 17:50

Acusado de ameaçar criança de 2 anos em assalto comete crimes há 18 anos

Ricardo Campos Jr.
Sebastião nega o crime, diz que estava em aniversário. (Foto: Alcides Neto)Sebastião nega o crime, diz que estava em aniversário. (Foto: Alcides Neto)

Com histórico de crimes desde 1997 e foragido da Justiça, Sebastião Márcio da Silva Pereira, 37 anos, é apontado pela polícia como um dos integrantes do grupo que roubou uma casa na Vila Morumbi, em Campo Grande, no dia 13 de janeiro. O titular da Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos), Luis Alberto Ojeda, afirma que o suspeito torturou psicologicamente a vítima apontando um revólver para a cabeça do filho dela, de 2 anos. Apresentado à imprensa nesta sexta-feira (23), ele nega o crime e diz que estava em um aniversário no momento do assalto.

Entretanto, conforme o delegado, o homem foi reconhecido pela vítima. Informalmente, ele confessou o crime e, segundo Ojeda, passou o nome dos comparsas, que ainda estão foragidos. No depoimento oficial, mudou a versão.

A prisão do suspeito ocorreu em uma ação da Polícia Civil. Ele foi detido por ter mandado de prisão em aberto. O envolvimento dele no roubo investigado pela Derf foi descoberto na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do bairro Piratininga, para onde foi levado inicialmente.

Violência – Ojeda relata que no momento do crime, a mulher e o filho estavam sozinhos em casa, jantando. O grupo arrombou o portão de elevação e entrou no local. Dois deles estavam armados. Eles pegaram dois celulares, duas máquinas fotográficas, um tablet, um videogame, um notebook e R$ 1050.

Entretanto, não contentes, eles começaram a ameaçar a criança pedindo mais dinheiro e objetos. A vítima chegou a ajoelhar implorando pela vida do garoto. O grupo fugiu em seguida.

O delegado não detalhou o histórico do preso, disse apenas que se trata de um “indivíduo de alta periculosidade”. A informação passada por ele, de que estava em uma festa, não procede, segundo Ojeda. Sebastião ficará em uma cela na Derf à disposição da Justiça. Os objetos levados do imóvel ainda não foram recuperados.



Dezoitos anos no mundo do crime e o presidente da Indonésia não tomou providencias? Assim não da.
 
Alex André de Souza em 23/01/2015 21:31:39
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions