ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SEXTA  20    CAMPO GRANDE 12º

Capital

Adolescente envolvida na morte de empresário pode ser solta amanhã

Por Lidiane Kober | 08/05/2014 17:14
Polícia fez a reconstituição da morte até no momento que o empresário foi enterrado, após levar tiro (Foto: Cleber Gellio)
Polícia fez a reconstituição da morte até no momento que o empresário foi enterrado, após levar tiro (Foto: Cleber Gellio)

A adolescente de 17 anos, envolvida na morte, que comoveu Campo Grande, do empresário Erlon Peterson Pereira Bernal, 32 anos, pode ser solta nesta sexta-feira (9). Ciente do “clamor social” envolvendo o caso, o advogado da família, Oton Nasser divulgou nota para alertar a possibilidade e pediu o apoio “para este crime hediondo não ser esquecido”.

O futuro da garota estará em debate na Vara da Infância e da Juventude, no Fórum de Campo Grande, a partir das 13h30. Na ocasião, a esposa, Dayane Perez Bernal, 32, e o pai de Erlon, Lino Bernal, 57, também serão ouvidos pela Justiça.

“Como é amparada pelo Eca (Estatuto da Criança e do Adolescente), existe grande probabilidade dessa menor voltar a integrar o convívio social”, alertou o advogado por meio de nota encaminhada à imprensa, nesta quinta-feira (8).

Neste sentido, ele apelou pela “contribuição quanto à cobertura e acompanhamento desde caso até a condenação dos réus para que este crime hediondo não seja esquecido”.

Thiago Henrique Ribeiro, 21 anos, Rafael Diogo, o Tartaruga, 24, e Jefferson dos Santos Souza, 22, estão presos e poderão ser condenados de aproximadamente 50 anos de prisão pelo crime. A garota está detida na Unei (Unidade Educacional de Internação).

Já o funileiro Ataíde Pereira dos Santos, que pintou o carro roubado de branco, foi indiciado pelo crime de receptação. Ele chegou a ser preso, mas foi liberado após pagar fiança de R$ 2.896.

O crime – Erlon saiu de casa às 14h do dia primeiro de abril para mostrar o veículo a um suposto cliente. O local combinado foi a Avenida Interlagos, em frente a rotatória da Coca-cola, em Campo Grande. Ao chegar lá, um dos bandidos disse que seria necessário mostrar o Golf a uma tia para “fechar negócio”.

No entanto, poucos minutos após chegar à casa no Bairro São Jorge da Lagoa, Erlon foi assassinado e o corpo enterrado em um fossa séptica.

Nos siga no Google Notícias