ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SEGUNDA  24    CAMPO GRANDE 26º

Capital

Aeroporto e rodoviária irão receber barreira sanitária por 2 semanas

No final de semana, ainda serão instalados pontos de vacinação em ambos os locais

Por Jhefferson Gamarra e Aletheya Alves | 07/12/2021 15:44
Servidoras da saúde com testes que serão disponibilizados no Aeroporto de Campo Grande. (Foto: Kísie Ainoã)
Servidoras da saúde com testes que serão disponibilizados no Aeroporto de Campo Grande. (Foto: Kísie Ainoã)

A prefeitura iniciou na tarde desta terça-feira (7), a montagem da estrutura para realização de barreiras sanitárias no Aeroporto Internacional de Campo Grande. Inicialmente, a ação estava prevista para acontecer no período da manhã, mas por questões de logística, o local para realização dos testes será estreado apenas às 16h, horário previsto para a chegada de um voo na Capital.

De acordo com o secretário de Saúde de Campo Grande, José Mauro Filho, as estruturas serão montadas apenas no aeroporto e até o final de semana, uma unidade na rodoviária da Capital pelo período de duas semanas. A intenção é identificar a chegada de pessoas contaminadas vindas principalmente do continente europeu, africano e de regiões onde foram confirmadas a presença da variante Ômicron. Não há previsão de realização de barreiras em rodovias.

Secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho. (Foto: Kísie Ainoã)
Secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho. (Foto: Kísie Ainoã)

“Nesse momento, a prioridade é observar a entrada de pessoas vindas de regiões onde foram confirmadas a variante pelas próximas duas semanas, no aeroporto e na rodoviária. Será feita uma busca ativa para identificar sintomas, onde serão realizados testes e repassadas as orientações que sempre demos”, destacou o titular da pasta.

As estruturas ficarão montadas com servidores da secretária entre as 8h e 00h, período de maior movimentação nos terminais. Não há previsão de quantos testes serão utilizados, uma vez que os viajantes, mesmo apresentando sintomas e orientados pelas equipes, poderão se recusar a realizar os testes rápidos.

“Ao ser identificado o sintoma, o viajante recebe as orientações e é convidado a realizar o teste. Caso o teste seja positivo, ele é encaminhado para uma unidade de saúde mais próxima para saber qual é o quadro. Não podemos exigir a obrigatoriedade, porque a lei brasileira não exige, tanto para vacina quanto para teste”, explica.

Sobre o atraso na montagem da estrutura para realização de testes, o titular da Saúde comunicou que estavam sendo realizadas adequações estruturais e instalação de computadores pra contabilizar os testes e registrar as informações.

A partir do final de semana, tanto no aeroporto quanto na rodoviária serão montados pontos de imunização para que os viajantes possam completar o ciclo vacinal. Além dos turistas, toda a população de Campo Grande poderá se imunizar nos locais.

Estrutura montada no aroporto da Capital. (Foto: Kísie Ainoã)
Estrutura montada no aroporto da Capital. (Foto: Kísie Ainoã)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário