A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

26/07/2011 17:38

Águas disputa área de principal adutora, onde dono quer plantar eucalipto

Marta Ferreira
A concessionária diz que a presença desse tipo de vegetação no entorno da adutora pode romper a estrutura. (Foto: João Garrigó)A concessionária diz que a presença desse tipo de vegetação no entorno da adutora pode romper a estrutura. (Foto: João Garrigó)

A área onde fica a adutora que fornece 50% da água distribuída em Campo Grande é alvo de disputa judicial. A empresa Águas Guariroba entrou na Justiça contra os donos das terras, reivindicando usucapião, após descobrir que eles arrendaram a área e que os responsáveis queriam abrir uma plantação de eucaliptos.

Na ação, a concessionária diz que a presença desse tipo de vegetação no entorno da adutora pode romper a estrutura e comprometer todo o abastecimento de Campo Grande.

O processo informa que o plantio chegou começar e, no ano passado, houve um acordo entre a Águas Guariroba, e a arrendatária. A empresa Ramires Reflorestamento se comprometeu a retirar a vegetação, mediante o recebimento de indenização de R$ 20 mil.

Após essa negociação, feita em setembro de 2010, conforme os autos do processo, a ação foi suspensa por 90 dias, com o intuito de chegar a uma nova negociação, o que não ocorreu.

Hoje, a Justiça publicou um edital informando terceiros sobre a ação de usucapião que a Águas Guariroba move contra os proprietários das terras em questão, Raizo Miyaki e Shizuka Hotta Miyaki. O edital dá prazo de 15 dias para a contestação pelos proprietários da área.

Histórico - O texto afirma que, em agosto de 1983, a então concessionária dos serviços públicos de água e esgoto de Campo Grande, a Sanesul, firmou contrato com os então proprietários das Fazendas Pastinho e Campanário, no qual eles se obrigaram a suportar a instituição de servidão no imóvel que lhes pertence, onde estão construídas as Estações de Tratamento de Água abastecidas pela Adutora Guariroba, na saída para Três Lagoas.

A estrutura passou para a posse da Águas Guariroba, quando houve a concessão dos serviços para empresa, em Campo Grande, no ano 2000.

Conforme os autos, ao longo dos anos, a servidão não foi registrada na matrícula dos imóveis, que foram vendidos aos proprietários atuais, que arrendaram para plantio de eucaliptos.

“Não é preciso, mas cumpre ressaltar para que não reste dúvida, que os eucaliptos poderão, se plantados forem, romper a Adutora Guariroba – o que evidentemente trará incomensuráveis prejuízos à metade da população campo-grandense, abastecida por meio dela”, diz o texto.

A empresa pede, então, que seja declarado o usucapião, para impedir que sejam plantados eucaliptos no local.

O processo corre na 8ª Vara Cível, em Campo Grande, que está promovendo a intimação dos interessados, entre eles as autoridades públicas.



Antes de postar pesquisei sobre o "mito" e não encontrei nenhum estudo "inocentando" o eucalipto. Os mais tolerantes indicam que após o corte, após um período de 2 a 3 anos a "natureza pode voltar a normalidade quanto a recursos hídricos". Quanto a pastagem, uma boa ideia é voltar a plantar mudas nativas que, propiciarão a recuperação em curto espaço de tempo, sem alterar as características naturais.
 
Ricardo Lopes em 27/07/2011 12:28:03
Existem muitos mitos quanto ao plantio do eucalipto no tocante ao consumo de água/planta. Sou engenheiro agrõnomo e acompanho vários plantios em diversos locais. Existem estudos científicos comprovando que certas espécies, como a peroba, consome mais água que o eucalipto. Como ele é de crescimento rápido, necessita de mais água num menor espaço de tempo mas o consumo final é menor que váras outras espécies. E já acompanhei plantios próximos a áreas alagadas e não houve diminuição significativa do lençol freático/mananciais. Ambientalmente, não existem restrições ao seu plantio. Substituir a pastagem degradada pelo seu plantio até favorece o meio ambiente.
 
Gustavo em 27/07/2011 10:25:41
interessante que para grandes empresários , vale mais o lucro da moda, que é o eucalipto, do que a saúde e a necessidade fundamental dos seres humanos, para que deixar um mar de águas puras e necessárias para quinhentas mil pessoas , com certeza para eles o recebimentos das águas do rio são de valores insignificantes, para que ficar se podem mudar, eles não precisam de água, espero que não se mudem , estes proprietários para a Australia, lá o ( euca ), já secou a terra.
 
odimir gomes de lima em 26/07/2011 10:04:45
Caramba, plantar eucalipto em área de manancial ... cade Ibama, protetores do meio ambiente ???? O eucalipto é um "bebedor" de água e pode danificar qualquer fonte d´ água. .....
 
Ricardo Lopes em 26/07/2011 09:08:56
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions