ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUINTA  18    CAMPO GRANDE 20º

Capital

Além de muro, ministério promete novas câmeras em presídio federal

Unidade penal situada em Campo Grande ganhará novos equipamentos no 2º semestre, afirma André Garcia

Por Gustavo Bonotto e Maristela Brunetto | 28/03/2024 21:37
Policial penal acompanha movimentações em bloco de presídio. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)
Policial penal acompanha movimentações em bloco de presídio. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

Ministério da Justiça vai instalar cerca de 10 mil câmeras nas cinco unidades prisionais sob responsabilidade da União, informou o secretário Nacional de Políticas Penais, André Garcia, durante entrevista à imprensa nesta quinta-feira (28). Entre as iniciativas para reforçar a segurança, o titular da pasta citou a construção de uma muralha no Presídio Federal de Campo Grande.

Embora já anunciada por meio de licitação, Garcia disse à CBN que a obra "[...] ainda não tem prazo estabelecido, mas que os equipamentos, assim como as novas adequações, serão distribuídas aos estados até o fim do 2º semestre".

Orçado em R$ 724,9 mil, o projeto foi desenhado para dividir os setores e criar condições para que duas turmas pudessem aproveitar o banho de sol no mesmo horário. Segundo o gestor, o ministério fez uma avaliação dos procedimentos adotados para criar um reforço - além de algumas alterações, como a nomeação de novos policiais penais.

"Mesmo estando de fora do sistema, assumi há 40 dias, sempre encarei o sistema penal como um ativo, hígido e seguro. Uma fuga não pode definir uma história de mais de 20 anos", disse Garcia ao se referir à fuga de dois detentos no Presídio Federal de Mossoró (RN).

A ação na região Norte revelou várias deficiências no sistema. Um dos pontos foi a falha no monitoramento. Os presos escaparam do bloco penal sem serem vistos, porque as câmeras não têm sensores que captam movimento. Por isso, a promessa é de modernizar esses equipamentos.

Inaugurada há 18 anos, a unidade de Campo Grande nunca registrou fuga. Com 208 vagas, já abrigou Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, e o narcotraficante Juan Carlo Abadia. Hoje, um dos internos é Adélio Bispo, preso por tentar matar o ex-presidente da República, Jair Bolsonaro.

Também estão aqui dois acusados dos assassinatos do jornalista Dom Philips e do indigenista Bruno Pereira e suspeitos de comandar ataques no Rio Grande do Norte, que ocorreram em março de 2023.

Receba as principais notícias do Estado pelo celular. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News no WhatsApp e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias