ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  24    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Amigos cantam em enterro de universitário assassinado

Por Viviane Oliveira e Nadyenka Castro | 10/12/2012 16:08
Amigos e familiares deram o último adeus ao estudante. (Foto: Pedro Peralta)
Amigos e familiares deram o último adeus ao estudante. (Foto: Pedro Peralta)

“Eu vejo a vida melhor no futuro”... Foi cantando a música Tempos Modernos, de Lulu Santos, que os amigos se despediram de Lawrence Corrêa Biancão, 20 anos, no cemitério Jardim das Palmeiras, em Campo Grande, na tarde desta segunda-feira (10).

Lawrence foi encontrado estrangulado dentro do carro, um Fiesta prata, no início da tarde de ontem (9), estacionado na Orla Morena, no bairro Cabreúva. Amigos e familiares ainda parecem não acreditar no que aconteceu com ‘Black’, como era chamado o garoto de sorriso fácil.

De acordo com o amigo de faculdade Rudnei Ney Ramos Espíndola, 24 anos, Lawrence não tinha inimigo, nunca falou em suicídio e nem em ameaças. “A vida dele era um livro aberto, ele não escondia nada da gente”, disse o amigo se referindo desconhecer “Alberto”, suposta pessoa que a vítima teria encontrado antes de morrer na Orla Morena.

Segundo o amigo, sexta-feira foi o último dia que foram para 'balada' juntos. “Nos fomos comemorar o aniversário de uma amiga. Sambamos até 1h da madrugada”, relembra Rudnei.

Amiga de Lawrence há 7 anos, Virginia Farias, disse que foi um choque para os familiares e amigos. “Ele falava que quando morresse queria ver todo mundo feliz e sambando no seu velório”, afirma.

Os amigos foram ao enterro de branco para representar a paz que o amigo passava para todo mundo. Eles estão recolhendo fotos que Lawrence havia tirado com os amigos para entregar a família no dia da missa de 7º dia. “Estamos arrasados, ele era uma pessoa maravilhosa”, finaliza o amigo Guilherme Rosa, 19 anos.

A letra Tempos Modernos foi cantada duas vezes pelos amigos. Segundo eles, Lawrence chegava todos os dias cantando a música na faculdade.

Amigos recolhem fotos para entregar para a família na missa de 7º dia. (Foto: Pedro Peralta)
Amigos recolhem fotos para entregar para a família na missa de 7º dia. (Foto: Pedro Peralta)

Vamos viver tudo.... que há pra viver...vamos nos permitir... "Assim como diz a letra da música era ele, que tinha muita vontade de viver e não deixava nada para trás”, destaca os amigos.

Caso - Um morador da Orla Morena foi quem acionou a Polícia Militar por volta das 12h de ontem (9), depois de sair de casa às 6h e voltar para o almoço e perceber que o rapaz continuava dentro do carro. De início, o morador pensou que ele estaria apenas dormindo.

De acordo com a Polícia, a vítima estava no banco do motorista, com lesões no pescoço que indicam estrangulamento e várias lesões pelo rosto, além de um machucado específico no joelho esquerdo, que para a Polícia, indica que ele tentou se defender no momento do crime.

Para a Polícia, apenas o laudo do Imol (Instituto Médico Odontológico Legal) vai confirmar o que foi usado no estrangulamento. Em princípio, a Polícia acredita que possa ser um cinto de tecido que foi encontrado no carro.

O veículo estava todo revirado e o celular e a carteira da vítima foram levados, na tentativa de dificultar a identificação. Com Lawrence foram encontrados R$ 15.