ACOMPANHE-NOS    
JULHO, DOMINGO  25    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Apesar de retorno de faculdades, consórcio não prevê aumento de ônibus

Mesmo com acolhimento dos alunos da rede estadual e volta das faculdades, consórcio vai esperar demanda para aumentar frota

Por Paula Maciulevicius Brasil | 26/02/2021 11:35
Ensino presencial na rede estadual começa em abril, mas alunos já vão para "acolhida" nas escolas a partir de segunda-feira. (Foto: Arquivo/Henrique Kawaminami)
Ensino presencial na rede estadual começa em abril, mas alunos já vão para "acolhida" nas escolas a partir de segunda-feira. (Foto: Arquivo/Henrique Kawaminami)

Apesar do anúncio da semana de "acolhimento" dos alunos da rede estadual de ensino já na próxima segunda-feira (1º) e com a volta das aulas presenciais nas universidades autorizadas a partir do dia 8 de março, o número de ônibus circulando pela Capital não tem aumento para o início de março.

O consórcio Guaicurus, que administra o transporte coletivo em Campo Grande, diz que vai esperar para ver a demanda e então realizar as adaptações necessárias.

Ônibus podem circular com todos os assentos ocupados e 70% da capacidade de passageiros em pé. (Foto: Henrique Kawaminami)
Ônibus podem circular com todos os assentos ocupados e 70% da capacidade de passageiros em pé. (Foto: Henrique Kawaminami)

Com passe de estudante liberado desde o dia 12 de fevereiro para alunos que estejam realizando atividades presenciais, os ônibus já estão rodando com todas os assentos ocupados e até 70% do limite da capacidade de pessoas em pé.

"Pela pandemia a gente já precisava ter mais ônibus circulando, porém como usuária, acredito que não vá aumentar agora, a gente já viu que essa questão nunca se resolve", diz a usuária do transporte público Aline Lira, de 31 anos.

Ao Campo Grande News, o presidente do consórcio, João Rezende, disse que esteve reunido hoje com a Agetran (Agência Municipal de Transporte) para programar o retorno, mas que por enquanto vão acompanhar e ver se a frota que está nas ruas vai atender ou precisará ser complementada.

"Se tem que colocar mais ou não, isso nós vamos ver com o tempo. Certamente vai alterar alguma coisa, mas temos que ver para sentir e a medida que os alunos forem aderindo", explica.

Usuária do transporte público, Aline se preocupa em não ver mais ônibus rodando agora. (Foto: Henrique Kawaminami)
Usuária do transporte público, Aline se preocupa em não ver mais ônibus rodando agora. (Foto: Henrique Kawaminami)

Os ajustes, ainda segundo o consórcio, vão incluir até um novo mapeamento para ver quantos dos alunos que têm o passe do estudante realmente fazem o uso e de quais linhas e em quais horários. "Vamos apurar e possivelmente entrar em contato com cada um, para ver qual linha está usando e ir ajustando de maneira correta para que não haja excesso ou falta de ônibus, porque este é um momento delicado", aponta João Rezende.

Retorno - As escolas estaduais de Mato Grosso do Sul começarão o ano letivo em 1º de março com aulas online, migrando para o modelo híbrido a partir de abril. No entanto, nas duas primeiras semanas de março haverá o chamado "acolhimento", quando os estudantes serão recebidos presencialmente nos colégios para conhecer e entender como será a dinâmica híbrida, que mistura aulas online com o sistema presenciais.

Já o retorno das aulas presenciais nas universidades está autorizado para acontecer a partir do dia 8 de março, com 50% de ocupação das salas.

Frota só vai aumentar se houver demanda, avalia consórcio Guaicurus. (Foto: Henrique Kawaminami)
Frota só vai aumentar se houver demanda, avalia consórcio Guaicurus. (Foto: Henrique Kawaminami)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário