A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 10 de Dezembro de 2017

22/02/2016 18:50

Após alagamentos, medo chega junto com a chuva para moradores

Fernanda Yafusso
Odilson, morador que teve a casa invadida pela lama na semana passada ficou preocupado com a chuva (Foto Fernando Antunes)Odilson, morador que teve a casa invadida pela lama na semana passada ficou preocupado com a chuva (Foto Fernando Antunes)

Menos de uma semana após o temporal que alagou casas no bairro Nova Lima, região norte de Campo Grande, moradores relatam medo quando ouvem os barulhos dos trovões, anunciando a próxima chuva. Na quinta-feira passada (18), casas na região ficaram danificadas e moradores tiveram prejuízos materiais, no pior alagamento já registrado por quem vive ali.

Na tarde desta segunda-feira (22) voltou a chover na Capital, e mesmo sendo tranquila, a chuva deixou a moradora Maria Aparecida Silva, de 56 anos, com medo do temporal. Mas o pior, segundo ela, é quando a chuva vem à noite.

"A noite quando começa a trovejar dá medo, porque de dia a gente está vendo. Mas, de noite é duro porque a gente está deitada e acorda com aquele colchão nadando perto de você. Não é fácil, e até agora estou pelejando com as coisas que estragaram da última chuva", relata.

Maria, que mora na rua Marquês de Herval, teve a casa invadida pela água no temporal de quinta passada. Dentre as perdas materiais estão televisores, colchões e móveis, como cama e guarda-roupa. Ela ainda relata que agradece à Deus por estar viva, pois os bens materiais podem ser recuperados.

"No dia que alagou tudo eu fiquei tão nervosa. Perdi o colchão novinho e que eu tava pagando ainda, ele está todo molhado, cheio de lama. Tive que jogar metade das minhas compras fora, arroz, pacote de trigo. Tudo estava com barro e eu não ia comer com o risco de ficar doente. Na hora que vi minha casa toda cheia de água, pensei 'por que Deus?'. Mas, depois, agradeci por estar viva", conta.

Já Odilson Pereira Borges, 46 anos, que também teve a casa invadida por lama na chuva de quinta, conta que ficou cuidando do tempo quando ele começou a ficar nublado nesta segunda. Ele perdeu um jogo de sofá e conta que teve só gastos após a sujeira deixada pelo outro temporal.

"Quando eu vi a chuva, já comecei a me questionar. Poxa, vai sujar aqui dentro de casa de novo, logo agora que tinha limpado tudo. Só gastei com caçamba para retirar os entulhos, com a água que precisei usar durante a limpeza da casa. Só tive prejuízos", relata.

De acordo com a Defesa Civil, não houve pontos de alagamentos na Capital durante a chuva que caiu na tarde desta segunda-feira (22). Na região do Alphaville foi registrado 10,50 mm. Já na região do Santo Amaro, o registro foi de 27,75 mm.

Alagamentos - Na semana passada, moradores da região do bairro Nova Lima tiveram perdas materiais e transtornos com o temporal que durou em média, 40 minutos. Esse tempo bastou para que as casas ficassem alagadas e as placas de asfalto das ruas fossem totalmente arrancadas pela força da enxurrada.

De acordo com a Defesa Civil, o volume de chuva registrado na quarta-feira (18) foi grande, sendo registrado 79,25 mm na região do Alphaville. Próximo à UCDB, o registro foi de 20 mm. Outros locais onde foram verificados grandes volumes foram o Cabreúva (34 mm) e Prosa (18,5) e Santo Antônio (30,75). 

Maria teve a casa alagada e perdeu móveis, eletrônicos e metade das compras que fez para a casa (Foto Fernando Antunes)Maria teve a casa alagada e perdeu móveis, eletrônicos e metade das compras que fez para a casa (Foto Fernando Antunes)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions