ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUARTA  23    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Após episódios de violência, Guarda terá viatura específica para postos

Por Francisco Júnior | 23/02/2012 19:35

Veículo que fará rondas em unidades de saúde foi doado à Guarda pela Secretaria de Saúde

Viatura ficará exclusiva para fazer segurança nas unidade de saúde. (Foto: João Garrigó)
Viatura ficará exclusiva para fazer segurança nas unidade de saúde. (Foto: João Garrigó)

A Guarda Municipal terá uma viatura exclusiva para fazer a segurança das unidades de saúde de Campo Grande. O veículo, um Gol, foi cedido pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde). Incidentes de vandalismo e violência foram registrados nas unidades de saúde nos últimos meses.

De acordo com o comandante da Guarda Municipal, coronel Luiz Altino do Nascimento, a viatura, entregue na tarde desta quinta-feira, será utilizada a partir da próxima semana. “Estamos trabalhando para melhorar a segurança nos postos”, afirmou.

Campo Grande tem 92 unidades de saúde e nove unidades 24 horas, sendo seis centros regionais e 3 UPAs (Unidades de Pronto Atendimento).

Segundo o secretário de saúde, Leandro Mazina, ações de segurança nas unidades de segurança era uma reivindicação de médicos e funcionários que trabalham nestes locais. “Essa viatura atuará como um suporte de segurança”.

O comandante informou ainda que nas unidades que funcionam 24 horas o número de guardas que fazem a segurança foi ampliada de um para três guardas.

Incidentes - Na última segunda-feira (20), Rony Martins Gomes, 20 anos, foi preso após ter chutado e quebrado a porta de vidro da unidade de saúde do bairro Tiradentes.

Ele estava alterado e foi detido pela Guarda Municipal, sendo levado para a Depac/Piratininga. Ele foi autuado em flagrante por dano contra o patrimônio público e teve a fiança arbitrada em dois salários mínimos: R$ 1244.

Outro incidente, porém mais grave foi registrado no dia 4 de fevereiro na UPA do bairro Universitário. Após três pessoas terem sido baleadas na feira do Jardim Monumento, a unidade de saúde para onde elas foram levadas foi cenário de confusão. Funcionários e pacientes ficaram em pânico.

De acordo com relato de uma funcionária, após as vítimas dos disparos de tiros chegar ao local, um bando de rapazes com armas de fogo invadiu a unidade. Segundo ela, houve disparos de tiros, muita gente se jogou ao chão, trabalhadores se trancaram no banheiro e no chão ficaram manchas de sangue.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário