A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

08/03/2013 14:43

Após servidores, Bernal enfrenta ameaça de greve de professores

Zemil Rocha
Professores prometem lotar a Câmara para pressionar Bernal (Foto: Marlon Ganassin)Professores prometem lotar a Câmara para pressionar Bernal (Foto: Marlon Ganassin)

O prefeito Alcides Bernal (PP) corre o risco de enfrentar uma greve de professores da Reme (Rede Municipal de Ensino) em razão de suas tentativas de anular uma lei que concedeu reajuste de 22,2% para a categoria no ano passado. Depois dos servidores administrativos ameaçarem entrar em greve, devido à suspensão do pagamento de gratificação referente ao Profuncionário (Programa de Formação Inicial em Serviço dos Profissionais da Educação Básica dos Sistemas de Ensino Público), na primeira quinzena de fevereiro, agora a ameaça vem dos professores.

Segundo o presidente do Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação Pública (ACP), Geraldo Alves Gonçalves, a categoria está tomando todas as providências nos campos administrativo e jurídico para evitar a anulação. “E não está descartado um movimento paredista contundente, caso o pedido do prefeito Alcides Bernal seja atendido”, advertiu.

Atendendo a pedido do sindicato, a Câmara de Campo Grande vai realizar na próxima quarta-feira (13), a partir das 17 horas, audiência pública para debater a solicitação do prefeito Alcides Bernal (PP), feita ao Ministério Público Estadual (MPE), para propor judicialmente a anulação da Lei Municipal 5.060/2012, que concedeu aos professores reajuste salarial no ano passado.

Os professores prometem lotar a Câmara, que também será um ato de protesto contra a atitude de Bernal. Dirigentes da ACP estão convocando a população e os profissionais da educação, da ativa e aposentados, integrantes da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande, para participarem da audiência pública.

Eventual anulação da lei tiraria do bolso dos professores 22,2% do salário.“Os educadores entendem que não é possível a anulação da lei 5.060/2012 porque o salário não pode ser reduzido”, afirmou o presidente da ACP, Geraldo Alves Gonçalves. “A nulidade da lei causaria uma redução de 22,22% no salário do professor e isto é inaceitável”, acrescentou.

 

Terminal rodoviário de Campo Grande oferece cartões de Natal gratuitos
A rodoviária de Campo Grande, mais um ano, oferece gratuitamente cartões de Natal gratuitamente para os passageiros que passarem pelo local até o pró...
Universidade do MS recebe certificação de excelência em gestão
Será recebida pela UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) em solenidade que acontece na próxima segunda-feira (18) o certificado de excelência em ges...
Águas Guariroba continua com campanha de renegociação de dívidas
Vai até o dia 29 deste mês a campanha "Fique em Dia", realizada pela Águas Guariroba para renegociar as dívidas que os consumidores têm com a empresa...
Prefeitura e TJ prorrogam renegociação de dívidas ajuizadas até 3ª
O programa de refinanciamento de dívidas da Prefeitura de Campo Grande foi prorrogado até o dia 19 de dezembro, a próxima terça-feira, no Centro de C...


"PARTICULARMENTE", tem que ser mesmo, pois, um comentário infeliz desse, tem que sair de uma ÚNICA cabecinha.
Acredito que toda categoria deve lutar pelos seus direitos. E a GREVE, infelizmente, é a única maneira que todas as categorias tem, para se fazer ouvir.
Nós, não aderimos a GREVE, por PRETESTO, ela é sempre a última alternativa.
Quanto a paralisação da ufms, e de outras tantas pelo país. rsrsrs a culpa do prejuízo dos alunos não foi dos doscentes, e sim, do Governo.
E, se houver GREVE, em nosso município, não será por PRETESTO, mas sim, buscando nossos direitos.
Acho que todos temos nossas opiniões, porém, temos que perceber, se nossas opiniões não desrespeitam o próximo, ou, neste caso, uma categoria inteira.
 
Isabel oliveira em 10/03/2013 17:02:22
PARTICULARMENTE, esse é só mais um motivo para uma outra "GREVE". Todo inicio de ano é a mesma coisa. Lembram do ano passado? A greve dos professores da UFMS prejudicou as férias de final do ano dos alunos e tudo terminou em pizza para os alunos, porque eles param a hora que decidem e ferre-se os outros. A GREVE é novamente só mais um pretesto para a educação continuar piorando como vem acontecendo. Porque depois da famosa GREVE vem a aceleração para dar o conteúdo didático, vem os famosos trabalhos para ganhar nota fácil, vem as aulas aos sábados, enfim, as consequencias quem tem são só os alunos e os pais...
 
Estela Marques em 09/03/2013 06:38:47
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk não votaram no homem? Agora engole por 4 anos.
 
Adriana Silva em 08/03/2013 22:17:37
A preocupação dele"BERNAL" É COM ELE PRÓPRIO.....
 
mariana silva em 08/03/2013 20:23:27
eu tenho certeza que 99% dos professores votaram no bernal e agora quer reclamar,ai eu pergunto para eles e o bernal? o bernal comprou um apartamento de 2.000,000,00.
 
manoel ribas em 08/03/2013 18:37:55
EU CREIO QUE É A UNICA COISA QUE VAI FAZER ESTE BERNAL PENSAR É O MOVIMENTO DE GREVE NA CIDADE, POIS ELE NÃO TEM NOÇÃO DO QUE ESTA FAZENDO COM CAMPO GRANDE
 
ely monteiro em 08/03/2013 16:06:54
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions