A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 20 de Setembro de 2019

08/09/2019 07:19

Arma falha 2 vezes, alvo foge, mas amigo é morto com tiro na cabeça

Dois homens foram presos em flagrante pela tentativa de homicídio, motivada por agressão a sobrinha de um dos suspeitos

Silvia Frias
No local da tentativa de homicídio, ficou a cadeira em que a vítima do disparo estava sentada (Foto: Marina Pacheco)No local da tentativa de homicídio, ficou a cadeira em que a vítima do disparo estava sentada (Foto: Marina Pacheco)

Alziro Rodrigues Garcia Weis, 30 anos, foi morto com tiro na cabeça, após ser ferido ontem à noite, no Jardim Talismã, em frente a um local que vende espetinhos. O alvo era um amigo dele, que conseguiu escapar depois que a arma falhou por duas vezes. Dois homens foram presos em flagrante pelo crime.

O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da região central como homicídio, lesão corporal, ameaça e porte ilegal de arma.

Alziro deu entrada em estado grave na Santa Casa, às 22h44 e morreu na madrugada de hoje, às 2h23, segundo boletim médico.

Segundo boletim de ocorrência equipe da PM (Polícia Militar) fazia rondas pelo bairro, por volta das 21h55 quando viu os militares viram um homem cruzar a rua correndo e o pararam para verificar se ele tinha algum envolvimento nos tiros que haviam escutado pouco antes. Ele disse que tinha sido vítima de tentativa de homicídio.

O rapaz, identificado como Natã Pereira Maidana, 21 anos, disse que estava sentado em espetinho, próximo a um bar na rua Serra de Maracaju, quando dois homens chegaram de carro. Um deles desceu e apontou a arma, dizendo que iria matá-lo, pois Natã estava agredindo a sobrinha do suspeito.

A arma falhou e foi o tempo de Natã correr e pular o muro. Ele diz que ouviu disparos, mas não soube dizer se alguém foi atingido.

Na sequência, a PM conseguiu interceptar o carro descrito pela vítima, em que estavam Vagner Barbosa da Silva, 40 anos, e William Cesar Garcia de Moraes, 41 anos. Os militares disseram que Vagner ainda jogou no chão um revólver 38, com munição deflagrada.

No local onde os disparos foram feitos, a PM encontrou a vítima, sentada, inconsciente, com ferimento na cabeça e com exposição de massa encefálica.

Testemunhas disseram que, logo após os disparos, os homens entraram no veículo, saíram, mas logo voltaram e, desta vez, William fez os disparos, atingindo um dos donos do bar, Ivanir Deviti, 40 anos, de raspão na perna esquerda.

Consta no boletim de ocorrência que Natã é casado com a sobrinha de Vagner e a suposta agressão seria o motivo do crime. William é ex-marido da moça, com quem tem uma filha de seis anos.

Os presos foram levados à Depac da região central. Eles teriam ameaçado a PM, e também devem responder por este crime. 

#notícia atualizada às 8h33 para acréscimo de informações

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions