ACOMPANHE-NOS    
JULHO, DOMINGO  03    CAMPO GRANDE 30º

Capital

Assassinada pelo irmão, mulher é encontrada ao lado de cova no Tiradentes

Filhos de 3 a 5 anos da vítima foram mantidos presos na residência junto do corpo

Por Adriano Fernandes | 27/05/2022 20:48
Cova onde o suspeito, aparentemente, pretendia enterrar a irmã. (Foto: Adriano Fernandes)
Cova onde o suspeito, aparentemente, pretendia enterrar a irmã. (Foto: Adriano Fernandes)

Patrícia Benites Serviam, de 31 anos, foi asfixiada até a morte pelo próprio irmão em sua residência, no cruzamento das ruas Dalva de Oliveira com Francisco da Silva, no Bairro Tiradentes, em Campo Grande. O homem chegou a cavar uma cova no quintal para enterrar a vítima. Familiares também suspeitam que ele tenha estuprado a vítima.

O crime teria ocorrido por volta das 2h desta sexta-feira (27), mas o caso só veio à tona por volta das 18h, depois que familiares invadiram a residência. Ele saiu correndo após ser descoberto e está sendo procurado pela polícia. O suspeito saiu recentemente da prisão e usa tornozeleira eletrônica. O corpo de Patricia foi encontrado embaixo de um tanque e de pedaços de madeira, nos fundos do imóvel, a poucos metros da cova. Marcas de sangue ficaram no local.

Local onde o corpo da vítima foi encontrado. (Foto: Adriano Fernandes)
Local onde o corpo da vítima foi encontrado. (Foto: Adriano Fernandes)

Conforme apurado pela reportagem, pela manhã, o suspeito foi até o trabalho de um familiar buscar a pá usada para cavar o buraco. Na ocasião, ele disse que Patrícia havia "sumido" com os dois filhos, de 3 e 5 anos. Entretanto, as crianças foram mantidas presas na residência junto do corpo. O filho mais velho, inclusive, é quem disse às testemunhas que viu o tio asfixiando Patrícia.

Ao longo do dia, o suspeito não teria deixado ninguém entrar no imóvel, o que levantou suspeitas dos vizinhos. No começo desta noite, contudo, dois familiares forçaram a entrada e encontraram a vítima sob o amontoado de entulho. Eles ainda tentaram agarrar o assassino, mas ele fugiu. Polícia Militar, peritos e investigadores da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) estiveram no local e continuam à procura do suspeito.

Ficha criminal - O homem acumula diversas passagens pela polícia, inclusive, por estupro e chegou a passar cinco anos preso, conforme apurado. O retorno à prisão ocorreu há poucos meses, após ele agredir a companheira. Colocado em liberdade, a previsão era de que ele retirasse a tornozeleira eletrônica no próximo dia 15 de junho.

Nos siga no Google Notícias