A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 18 de Setembro de 2018

07/05/2018 17:50

Autor de assassinato vivia na rua e foi “fichado” em ação no Centro

Alexandre Moreira de Moraes foi preso no Jardim das Mansões e, em 11 de abril, esteve entre pessoas em situação de rua que foram “levadas” a delegacia

Humberto Marques e Anahi Gurgel
Moraes foi preso em uma casa no Jardim das Mansões; ele havia sido cadastrado em ação no Centro. (Fotos: Fernando Antunes)Moraes foi preso em uma casa no Jardim das Mansões; ele havia sido cadastrado em ação no Centro. (Fotos: Fernando Antunes)

Foi identificado como Alexandre Moreira de Moraes, 23, o autor do assassinato de um ajudante de pedreiro na manhã desta segunda-feira (7) no cruzamento da avenida Mato Grosso com a rua dos Ferroviários, no Centro de Campo Grande. O acusado foi um dos mais de 100 moradores de rua que, em 11 de abril, passaram por cadastramento em uma delegacia de Polícia Civil –dentro de ações que começaram a ser feitas na região central da Capital para identificar pessoas em situação de rua.

O suspeito feriu com um golpe de faca no ajudante de pedreiro Antônio Marcos Rodrigues de Souza, 34, que seguia para o trabalho de bicicleta com o pai. A vítima viu Moraes tentando assaltar uma adolescente e decidiu intervir. Ele foi esfaqueado no pescoço e não resistiu, enquanto o autor fugiu do local, sendo filmado por câmeras de segurança nas imediações.

Moraes foi preso nesta tarde no Jardim das Mansões –região dos Pioneiros, no sul da cidade– depois de ter andado pela cidade após o crime porque, conforme as autoridades, tinha a intenção de fugir. O acusado estava em uma casa que pertenceria a conhecidos.

Antes, pediu ajuda em uma casa de reabilitação, onde não havia informado sobre o crime. Porém, Moraes desistiu de buscar suporte no local porque a entidade contatou sua família.

Fichado – A localização do acusado contou com suporte aéreo da PM e também informações de populares. Além das imagens de câmeras de segurança, o cadastro de Moraes junto a Polícia Civil ajudou na sua identificação: ele integrou o grupo de 108 pessoas em situação de rua que, em abril, passou por atendimento em uma delegacia.

PM manteve buscas por faca usada no assassinato de Antônio, no Centro da cidadePM manteve buscas por faca usada no assassinato de Antônio, no Centro da cidade

No processo, ele teve dados pessoais registrados, inclusive uma foto –que foi mostrada à adolescente, que confirmou a identidade do autor–, que batiam com o biotipo descrito e imagem capturada do acusado. O cadastramento de pessoas em situação de rua é alvo de apurações por parte da Defensoria Pública Estadual.

Na ocasião, a Polícia Civil informou que foram abordadas 250 pessoas, das quais 108 apresentaram problemas de documentação, sendo necessária a sua condução na delegacia.

As informações foram cruzadas também com o histórico policial do acusado, que tinha passagens anteriores por furtos –já tendo sido preso pelo crime neste ano.

O primeiro-tenente Thiago Mônaco Marques, da PM, confirmou que o autor usou uma faca para cometer o crime –a informação foi dada pelo próprio Moraes que, ao chegar à Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro se disse arrependido pelo crime. Contudo, ele não disse o motivo de ter cometido o assassinato. Ele permanecerá preso no local e deve passar por audiência de custódia nesta terça-feira (8), sendo indiciado por latrocínio (roubo seguido de morte).

“Esses marginais que se enveredam no mundo do crime tem de perceber que não vale a pena. A polícia está em cima, vai atrás, porque hoje tem todo esse aparato, tecnologia, para que o crime seja pago”, afirmou o tenente Mônaco.

Confira vídeo da prisão de Moraes:



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions