A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

23/05/2013 10:22

Bombeiros encontram problemas em 90% dos hidrantes de Campo Grande

Aliny Mary Dias
No dia 7 de maio, falta de água em hidrante atrapalhou combate a incêndio no Planeta Real.No dia 7 de maio, falta de água em hidrante atrapalhou combate a incêndio no Planeta Real.

A situação dos 97 hidrantes instalados em Campo Grande foi assunto de um levantamento produzido pelo Corpo de Bombeiros e entregue a Águas Guariroba no início da semana. De acordo com o coronel Jairo Kamimura, do comando metropolitano dos Bombeiros, 90% dos hidrantes da Capital têm problemas de funcionamento.

Os dois incêndios que destruíram as lojas Planeta Real e Prisma, esse mês no Centro, motivaram a conclusão do relatório. Segundo Kamimura, além da concessionária, o documento também foi entregue para a Agereg (Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Campo Grande).

O maior problema apontado pelo documento é que os hidrantes não têm vazão e pressão suficiente para uso durante os combates em incêndio.

“Chegamos a conclusão que nenhum dos 97 hidrantes já existentes passam por manutenção e essa responsabilidade é da concessionária. Fizemos o questionamento e eles ficaram de fazer uma nova avaliação para confirmar os problemas que encontramos”, afirma o coronel.

Kamimura explica que entre o fim de 2011 e início de 2012 foi produzido o último levantamento sobre os hidrantes que apontou a necessidade de instalação de 77 novos equipamentos em várias regiões da cidade.

Na época, a Águas Guariroba informou à corporação que os hidrantes só poderiam ser instalados após a consolidação do Plano Municipal de Hidrantes, que ainda não foi concluído.

Mesmo com o pedido anterior não atendido, o coronel afirma que no relatório entregue no início da semana foi solicitado um novo estudo para que outros equipamentos sejam instalados. “Além daqueles 77 que já havíamos pedido, a nova norma técnica aprovada exige um estudo atual para saber quantos hidrantes teremos que implantar”, diz o coronel.

A assessoria de imprensa da Águas Guariroba informou que para realizar a manutenção dos hidrantes é necessária uma vistoria dos Bombeiros apontando quais problemas cada equipamento apresenta. Segundo a empresa, o relatório entregue apresenta quais são os hidrantes defeituosos.

Uma reunião entre a concessionária, a Agereg e o Corpo de Bombeiros está marcada para o dia 14 de junho quando um plano de instalação será criado em conjunto e depois será definida a quantidade de novos hidrantes necessários para a cidade.

Combate - A maioria dos equipamentos que auxiliam os Bombeiros no combate aos incêndios está na área central de Campo Grande e são antigos. A corporação afirma que com o crescimento de comércios e prédios nos bairros, os equipamentos também são necessários nessas regiões.

“Temos muitas escolas, ginásios e edificações afastadas no Centro que podem ser focos de incêndio. Por isso precisamos que todos esses hidrantes estejam em pleno funcionamento”.

Os hidrantes não são só necessários em grandes combates, a exemplo das duas lojas destruídas no centro. Em incêndio em veículos ou residência, por exemplo, os militares chegam a usar 200 mil litros de água.

Atualmente a corporação possui uma frota que consegue armazenar 31 mil litros de água. A viatura auto tanque tem capacidade para 10 mil litros, a carreta Scania pode levar 20 mil litros e a um ABT auxilia com 5 mil litros de água.

Os Bombeiros da Capital também contam com três viaturas tipo ABR que armazenam 2 mil litros de água cada.

Abstenção em concurso da Câmara Municipal da Capital passa dos 30%
O domingo (17) foi de provas para milhares de campo-grandenses, tanto na manhã como no período da tarde, no concurso da Câmara Municipal, que segundo...
Com forte dores, mulher reclama de falta de atendimento em UPA
Mesmo apresentando fortes dores e inchaço na região do estômago, sem conseguir comer a três dias, uma mulher que procurou atendimento na UPA (Unidade...
Problema rotineiro, chuva causa alagamentos no bairro Cidade Morena
A chuva que atingiu Campo Grande no fim da tarde deste domingo (17) causou vários problemas à população, desde alagamentos a problemas estruturais em...


No ano de 2012, como parte do Curso de Engenharia de Segurança do Trabalho, publiquei um artigo científico que tratava dos problemas dos hidrantes da cidade de Campo Grande-MS. Segue o link: http://www.unigran.br/revistas/ciencias_exatas/conteudo/artigos/pdf/05.pdf.
 
Antonio Carlos Xavier Portugal em 11/08/2013 09:54:20
As coisas no Brasil só funcionam quando algo acontece de errado, dá-se como exemplo a tragédia em Santa Maria (RS). São contratados pra isso, recebem pra isso, e não fazem? No final quem paga a conta é o povo!
 
Andrey Xavier em 23/05/2013 11:51:20
Só agora o bombeiro encontrou essa situação (???), brincadeira...
 
Marcelo Mendes em 23/05/2013 10:53:49
O que ocorre é um jogo de empurra empurra, o Corpo de Bombeiros e a Aguas Guariroba devem assumir suas responsabilidades e trabalharem em conjunto nessa questão, pois ficar deixando tudo para a ultima hora pode ocasionar um incendio maior do que o ocorrido na Planeta Real. No Brasil em geral vejo que as pessoas arrumam desculpas pra tudo ao invés de fazer o que tem de ser feito para depois não passar por problemas.
Custa aos Bombeiros verificar o problema nos hidrantes?? Custa a Aguas Guariroba efetuar a manutenção prévia desses hidrantes?? Até quando vai ficar essas desculpas??
 
Diego Souza em 23/05/2013 10:51:01
é isso que me deixa indignado. precisa acontecer uma tragédia, para algo ser feito de melhoria. porque é assim? porque as autoridades são omissas com a população? agora ficam as perguntas e de quem é a responsabilidade de problemas nos hidrantes. O MP tem que agir e cobrar repostas e soluções.
 
luciano marques em 23/05/2013 10:30:11
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions