ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, DOMINGO  24    CAMPO GRANDE 20º

Capital

Bombeiros retiram de córrego motocicleta de funileiro assassinado

Dois homens presos pelo crime indicaram o local onde jogaram o veículo, na mesma região onde corpo de vítima estava

Por Marta Ferreira | 22/04/2020 11:12
Equipe dos bombeiros retira de córrego moto de vítima jogada no lugar por assassinos. (Foto: Direto das Ruas)
Equipe dos bombeiros retira de córrego moto de vítima jogada no lugar por assassinos. (Foto: Direto das Ruas)

Como parte do inquérito sobre o assassinato do funileiro Adimilson Estácio, 44 anos, bombeiros militares deram apoio nesta manhã à equipe da DEH (Delegacia Especializada em Repressão aos Crimes de Homicídios) para retirar a motocicleta que era da vítima do córrego Angico, entre Campo Grande e Rochedo. Presos, os dois homens que confessaram o crime, conforme a polícia, indicaram o local onde estava o veículo.

Jorge Oliveira, 32 anos, e Alex Oliveira, 24 anos, estão presos desde o dia 16 de abril, no mesmo dia em que o cadáver de Adimilson foi localizado, enterrado nas proximidades do córrego.

Nesta manhã, três bombeiros foram ao local, com roupa de mergulho, para a retirada do veículo do leito do córrego. O trabalho começou às 7h e foi até por volta das 9h30.

Homicídio qualificado – Adimilson havia desaparecido no dia primeiro de abril, quando saiu para trabalhar na oficina mecânica de sua propriedade no Bairro Pioneiros. Segundo a investigação,  Jorge era seu funcionário e o comparsa dele fazia trabalhos esporádicos no local. Os dois criminosos moravam no mesmo endereço.

Os acusados estão em prisão provisória de 30 dias por homicídio triplamente qualificado, furto e ocultação de cadáver.

A motivação do crime, conforme a polícia divulgou, foi a descoberta pela vítima do furto de cartão do banco pelos dois homens, que haviam feito compras no valor aproximado de R$ 1,6 mil.

O inquérito policial tem prazo de 30 dias para a conclusão, período que pode ser prorrogado a pedido da autoridade policial.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário