A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

05/03/2013 11:09

Briga entre caminhoneiros e rede atacadista tumultua bairro

Paula Maciulevicius e Luciana Brazil
Depósito está tumultuado desde 5ª feira, quando os primeiros motoristas chegaram e não tiveram carga retirada. (Foto: Simão Nogueira)Depósito está tumultuado desde 5ª feira, quando os primeiros motoristas chegaram e não tiveram carga retirada. (Foto: Simão Nogueira)

Produtos dentro de caminhões e carretas que já deviam ter sido descarregados estão à mercê do impasse entre pagamento de diária e agilidade na descarga. O depósito do Atacadão na avenida Coronel Antonino em Campo Grande está lotado de veículos e motoristas que esperam um posicionamento. Alguns deles, desde a última quinta-feira.

A situação apresentada pelos motoristas de caminhão e carreta é de que eles chegaram e o depósito não retirou o material, incluindo itens de alimentação, como carnes, bebidas e produtos de higiene. O saldo é o tumulto de 30 a 40 carretas espalhadas entre o pátio e as ruas da lateral e motoristas sem receber pela diária do caminhão, prevista em lei, desde a semana passada.

A alegação dada pelos motoristas para a demora é que o depósito do mercado está lotado e não teria espaço no estoque para colocar todos os produtos que estão armazenados ali.

Ao Campo Grande News, os motoristas explicaram que a lei prevê o descarregamento até 5h depois de o caminhão ter chegado ao depósito. Depois disso, a legislação prevê que para cada 1 hora, os profissionais recebam um valor por tonelada.

Para a imprensa o mercado não se posicionou até o momento. Aos motoristas, eles repassaram que o acordo é diretamente com a transportadora. Argumento rebatido por eles, que sustentam que não interessa o que ficar acordado e nem com quem, mas que a diária tem de ser paga ali.

O tumulto de mais de 30 carretas na região e o pedido por diárias dos motoristas fez com que a PM fosse até o depósito. (Foto: Simão Nogueira)O tumulto de mais de 30 carretas na região e o pedido por diárias dos motoristas fez com que a PM fosse até o depósito. (Foto: Simão Nogueira)

Pelo local, a equipe pode ver sangue escorrendo de carretas que traziam carnes e cervejas que não deveriam ficar no sol, expostas ao calor de mais de 30°C.

O motorista Antenor Gonçalves, 39 anos, chegou a Campo Grande na quinta-feira de manhã. Pela lei ele teria que ter ido embora até às 15h daquele mesmo dia. A carga de produtos de limpeza só foi retirada ontem, no entanto o valor das diárias ainda não foi repassado.

“A gente precisa descarregar em outros locais também”, comentou.

O carregamento de palmito de Vilmar Capistrano, 48 anos, está desde a manhã de sexta-feira parado e até agora não saiu do caminhão. Para ele o problema é além do desgaste da espera. Banheiros e bebedouros são desligados as 22h e a solução é ter de tomar banho e dormir no caminhão mesmo.

A Polícia Militar foi acionada e os motoristas foram chamados para conversar. O posicionamento dado a eles é que transportadora e depósito vão entrar em um acordo quanto aos valores das diárias.

Em 17 anos de trabalho, Eliomar Souza Barbosa, 37 anos, nunca passou por uma situação como esta. Com o caminhão carregado de bacon, presunto, costela e lombinho, ele espera desde sexta-feira.

“Eu trabalho com isso e nunca tinha acontecido. Ainda preciso descarregar em outros dois Atacadão e em um mercado de Douradosi”, finalizou.



não é so aqui em campo grande que passamos por isso não,em Tres lagoas, Dourados,Nova andradina,Costa rica, Corumba,Chapadão do sul,maiorias dos supermercados destas cidades também deixam os motoristas por varios dias esperando para fazer o descarregamento.muitas as vezes sendo tratados maus tratados por conferentes das lojas de supermercados.muitos conferentes pedem dinheiro para agilizar as entregas.
 
marcos paulo h. taguti em 05/03/2013 20:37:49
Situação terrível tanto para os motoristas que sempre são crucificados qto a qualquer atraso ou problema e também, nós consumidores que acreditamos em descontos promoções e de repente, estaremos consumindo produtos estragados! Socorro autoridades! abre o olho população!
 
Luciane Delmondes em 05/03/2013 15:09:19
realmente e uma vergonha um dos maiores atacado do brasil nao ter um patio decente e nem espaço para descarga,entao porque compram tanta mercadoria,tem e que fazer isso mesmo para que o presidente dessa empresa tome alguma providençia
 
Edivaldo fonseca em 05/03/2013 14:29:53
Cadê a vigilância sanitária, para averiguar se a carga não está deteriorada !!!!!
 
Eduardo de Almeida em 05/03/2013 14:17:26
gente, paga o que é devido! esses motoristas trablaham, e nao estao aí de favor pa ninguem nao!!! absurdo o empurra empurra de diaria, tem que pagar e pronto!!!
 
Joycemara Carrera Cunha em 05/03/2013 14:06:26
E como sempre na cultura do Brasil,sobrou para PM resolver...
 
edmur Penedo em 05/03/2013 12:56:12
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions