A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Outubro de 2019

28/04/2019 18:20

Busca por vacina contra a gripe tem extremos entre unidades de saúde

Enquanto alguns dos postos 24 horas tinham filas neste domingo, outros quase não registraram procura pela imunização

Mirian Machado
Fila se formou no CRS Tiradentes e o tempo de espera chegou há uma hora (Foto: Paulo Francis)Fila se formou no CRS Tiradentes e o tempo de espera chegou há uma hora (Foto: Paulo Francis)

A busca pela vacina contra a gripe provocou alguns extremos em diferentes unidades de saúde de Campo Grande neste domingo (28). Enquanto o CRS (Centro Regional de Saúde) Tiradentes teve uma grande fila em sua na sala de vacina, a unidade 24 horas no bairro Nova Bahia manteve a tranquilidade durante todo o doa, com uma fraca procura.

Entre pais com crianças e idosos, Magnolia Seba, de 80 anos, aguardava há uma hora para poder se imunizar no CRS Tiradentes. Ela conta que trabalha durante a semana e, por isso, optou por vir no fim de semana. “Sempre tomo as vacinas. Minha carteirinha está cheia, em dia. Estou aqui há quase uma hora, mas o jeito é esperar”, disse, ressaltando que não tem medo de vacina e muito menos acredita nos mitos sobre a imunização.

Fernando Henrique Barbosa, de 40 anos, levou os netos de 1 ano e meio e de 3 anos para se vacinarem. Também para ele, o trabalho durante a semana e a correria do dia a dia fez com que muita gente optasse pelo fim de semana. “Cheguei agora e como ele não para eu fico aqui cuidando enquanto minha filhar aguarda na fila”, explicou.

Sem se identificar, uma funcionária afirmou que, pela manhã e mesmo sob chuva, a quantidade de gente ainda era maior e a fila chegava a dobrar os corredores dentro do CRS Tiradentes.

CRS Nova Bahia vazio na tarde deste domingo (Paulo Francis)CRS Nova Bahia vazio na tarde deste domingo (Paulo Francis)

Calmaria – O dia ocorreu tranquilo até demais na unidade do Nova Bahia. O atendimento era rápido diante da pouca quantidade de gente que aparecia para se imunizar. E assim foi o dia todo, segundo funcionários.

Anderson Ribeiro Sevalho, de 36 anos, foi com a mulher levar o sogro para se vacinar. Menos de cinco minutos depois de chegarem, foram atendidos. “Durante a semana o horário de vacinação é o mesmo do nosso expediente e, por isso, não conseguimos trazer, mas realmente está bem vazio, achei até que iria demorar um pouco”, contou ele, animado pela agilidade.

A Sesau (Secretária Municipal de Saúde) informou que os balanços sobre a vacinação são disponiblizados apenas nas sextas-feiras. Na última (27), apontava-se que mais de 35 mil pessoas haviam sido vacinadas em Campo Grande, dentro da meta de se imunizar 219.615 pessoas dos grupos de risco.

Ainda conforme a Sesau a campanha segue normalmente, sem interferências ou falta de vacina. A medicação está disponível nas 68 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e UBSFs (Unidades Básicas de Saúde da Família). Estes locais estão abertos de acordo com o horário estabelecido por cada unidade para atender a população do grupo de risco.

Aos finais de semana, a vacinação é realizada em quatro Centros Regionais: Nova Bahia, Tiradentes, Aero Rancho e Coophavilla II. As salas de vacinação estarão abertas das 6h15 às 17h45, sem intervalo para o almoço.

Números – Nesta segunda-feira (29), a Sesau coloca em operação um ônibus para realizar a imunização na região central da Capital. E, em 4 de maio, acontece o Dia D, quando se espera intensificar a campanha. A vacina é eficiente contra as principais cepas do vírus Influenza, que causa a gripe, incluindo o H1N1, H3N2 e Influenza A.

Até 26 de abril, a Saúde estadual contabilizada 302 notificações da doença no Estado, com três casos confirmados (dois de H3N2 e um de H1N1) e uma morte, por H3N2, em janeiro. No mesmo dia, a Secretaria de Saúde de Três Lagoas anunciou um segundo óbito pela doença, por H1N1. Uma idosa de Batayporã também faleceu com sintomas da doença no mesmo dia.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions