ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SÁBADO  19    CAMPO GRANDE 15º

Capital

Carro percorreu mais de 1,5 km com jovem em capô antes de acidente fatal

Trajeto entre ponto da câmera que flagrou pessoa pendurada e local de acidente fatal dura cerca de 3 minutos

Por Anahi Zurutuza | 16/05/2021 12:40
Trajeto entre ponto da gravação e local do acidente fatal (Foto: Google Maps)
Trajeto entre ponto da gravação e local do acidente fatal (Foto: Google Maps)

O Toyota Etios, gravado por câmera de segurança passando pela Avenida Afonso Pena com pessoa perdurada no capô, percorreu pelo menos 1,5 km até onde aconteceu acidente fatal na madrugada de sábado (15), em Campo Grande.

Ainda não é possível saber ao certo quem é a pessoa agarrada na parte externa do veículo. Se for Mariana Vitória Vieira Lima, de 19 anos, é possível afirmar que a jovem passou pelo menos 3 minutos em cima do carro até o namorado, Rafael Carrelo, também de 19 anos, perder o controle da direção, bater em meio-fio, atropelar e matar a vítima.

Em gravação de câmera direcionada para estacionamento de farmácia, carro aparece com pessoa dependurada (Foto: Reprodução)
Em gravação de câmera direcionada para estacionamento de farmácia, carro aparece com pessoa dependurada (Foto: Reprodução)

As imagens divulgadas pela Polícia Civil foram extraídas do circuito de segurança de farmácia localizada no cruzamento da Afonso Pena com a Rua Espírito Santo. Na gravação o Etios aparece passando pela avenida com uma pessoa dependurada. O acidente que matou Mariana Vitória aconteceu mais a frente, na Avenida Arquiteto Rubens Gil de Camillo, que liga a Afonso Pena à Via Parque.

Na versão dada por Rafael em depoimento, ele e a namorada estavam “brincando” quando tudo aconteceu. Primeiro, ela pegou a direção e ele se deitou no capô. Depois, ele assumiu a condução e ela ficou pendurada até o motorista perder o controle do veículo e atropelá-la. Não está claro, portanto, qual dos dois aparece no ponto onde a cena foi filmada, mas a perícia das imagens vai determinar.

Carro parrou bem depois do local onde Mariana foi atropelada (lá atrás, onde estão veículos da perícia) (Foto: Kísie Ainoã/Arquivo)
Carro parrou bem depois do local onde Mariana foi atropelada (lá atrás, onde estão veículos da perícia) (Foto: Kísie Ainoã/Arquivo)

A investigação – O acidente aconteceu por volta das 4h30 do sábado. Rafael foi preso em flagrante, no local da tragédia, por dirigir embriagado – ele passou por teste do bafômetro que apontou 0,89 miligramas de álcool por litro de ar expelido dos pulmões – e será investigado por feminicídio. A Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) vai apurar se houve intenção de matar ou dolo eventual (quando o autor assume o risco de provocar a morte de alguém).

Segundo a Joilce Silveira Ramos, da Deam, o rapaz deu duas versões sobre o que causou a morte de Mariana. A primeira, ainda no local do acidente, disse que ela estava dirigindo e em certo momento trocaram o volante. Então, quando ele quis dirigir, ela subiu no capô para tentar impedi-lo. Só depois, ele afirmou que ser tratava de brincadeira.

O jovem está preso e o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) já fez pedido para que o rapaz fique na cadeia preventivamente.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário