A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019

20/07/2019 09:40

Cinco anos e estacionamento proibido na Julio de Castilhos ainda não pegou

Estacionamento irregular nas ruas de Campo Grande já gerou 1.925 multas em 2019

Tainá Jara
Estacionamento na Júlio de Castilhos é proibido entre 6h e 10h  e entre 16h e 19h (Foto: Kisie Ainoã)Estacionamento na Júlio de Castilhos é proibido entre 6h e 10h e entre 16h e 19h (Foto: Kisie Ainoã)

Cinco anos depois e a proibição no estacionamento na Avenida Júlio de Castilhos ainda não pegou. Estreita, a via de principal acesso a região noroeste de Campo Grande, tem as vagas liberadas em horários de maior fluxo de veículos, de segunda a sexta-feira, entre 6h e 10h e 16h e 19h. No entanto, a medida é ignorada por diversos motoristas.

Ao circular pela via nestes horários é possível ver cinco veículos estacionados na extensão de uma quadra. Para os moradores, a ilegalidade é rotina. “É direto. Não tem fiscalização. É perigoso, porque nesse horário é muito carro passando e o risco de um bater no outro é grande”, afirma a funcionária de serviços gerais, Rosa Vieira, 50 anos. Ela é moradora da região.

Placas para avisar sobre as restrições de horário não faltam. Mesmo assim, os condutores não hesitam em estacionar os veículos. Conforme um morador da via, que preferiu não se identificar para não se indispor com os vizinhos, a situação é recorrente principalmente em frente às agências bancárias, pois, elas não costumam possuir estacionamento próprio. “Nos estabelecimentos comerciais às vezes os motoristas param rápido, pegam uma coisinha e vão embora. Mas nos bancos eles abusam”.

Proprietário de uma das poucas residências da via, ele afirma que enfrenta até mesmo problemas para sair da garagem da própria casa com seu carro, por haver veículos estacionados em local indevido. “Às vezes os amarelinhos passam multando, porém, não é suficiente”, opina.

Atleta frequentador de uma academia da região confessa que aprendeu a lição apenas depois de ser multado na Júlio de Castilhos por uma policial militar. “Parei um pouco antes das 7h em frente a uma padaria. Achei que a proibição começava apenas às 7h”.

Depois disto, ele chega antes e procura por vaga nas ruas adjacentes. “O problema é que vejo que outros condutores não são punidos da mesma forma”. A vergonha pela punição foi tanta, que ele também preferiu não se identificar.

A restrição no horário de estacionamento começou a valer em maio de 2014. Na época, a avenida havia passado por uma grande reestruturação, responsável por mudar consideravelmente o trânsito. A solução foi encontrada pelas equipes da Agetran (Agência de Transporte e Trânsito), depois de muita conversa com moradores e comerciantes da região.

Moradores reclamam que condutores abusam de estacionamento proibido principalmente em frente a agências bancárias (Foto: Kisie Ainoã)Moradores reclamam que condutores abusam de estacionamento proibido principalmente em frente a agências bancárias (Foto: Kisie Ainoã)

Fiscalização – Conforme o gerente de Fiscalização da Agetran, Carlos Guarini, as fiscalizações na Avenida Júlio de Castilhos são diárias, no entanto, não é possível deixar equipe fixa para atuar nestes horários. “Não temos efetivo suficiente”. Levantamento da entidade aponta que entre janeiro e junho de 2019, foram aplicadas 1.925 multas por estacionamento irregular nas ruas da Capital. No geral, entre janeiro e abril deste ano, o total de veículos autuados no trânsito era de 2.448.

Os locais indevidos para estacionar o caro resultaram na aplicação de 3.467 multas no ano passado. Em 2017, foram 3.134. Portanto, as autuações têm crescido.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions