ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  31    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Com 7 mil casos de dengue, Prefeitura decretará emergência

Por Nícholas Vasconcelos e Helton Verão | 17/01/2013 19:11
Decreto de emergência deve ser publicado na próxima segunda-feira. (Foto: Rodrigo Pazinato)
Decreto de emergência deve ser publicado na próxima segunda-feira. (Foto: Rodrigo Pazinato)

As 7.029 notificações de dengue em apenas 16 dias levaram a Prefeitura de Campo Grande a decretar situação de emergência. O prefeito Alcides Bernal (PP) anunciou hoje em entrevista coletiva que dá inicio aos trâmites para o decreto nesta sexta-feira (18) e já na próxima segunda-feira (21) a de medida deve ser publicada no Diário Oficial do município.

Bernal anunciou que a expectativa das autoridades de saúde é de que a epidemia neste ano ultrapasse a de 2007, quando foram 12 mil casos foram notificados somente no mês de janeiro. Em 2013, os casos do tipo 4 da doença já somam 64% das notificações.

Foram encontrados 2.600 focos do mosquito da dengue, 93% desses em residências.

Participaram da coletiva o vice-prefeito Gilmar Olarte (PP), do secretário de Saúde, Ivandro Fonseca, do coordenador do mutirão de combate à dengue, Victor de Oliveira, Márcia Dal Fabro que é diretora de Vigilância em Saúde e do coordenador do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), Alcides Ferreira.

Os especialistas alertaram para o risco do uso de armadilhas caseiras contra o mosquito da dengue, já que se não forem limpas corretamente podem proliferar o agente transmissor da doença.

“Por medida de cautela, irei contatar o Ministério Público e a Defesa Civil pois a situação é grave”, explicou Bernal. Com o decreto, a busca por recursos, contratação de mão de obra, e recursos federais são facilitadas.

Segundo Bernal, o linear epidêmico dos últimos 10 anos apontava que este ano seria registrada uma grande quantidade de casos de dengue. Este índice serve para apontar a possibilidade de epidemia.

Entre as medidas adotadas pela Prefeitura está o atendimento especial nas UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e em sete unidades básicas de saúde. Foram contratados 100 agentes de saúde, além de 100 médicos e a expectativa é de que mais profissionais sejam contratados.

O prefeito reclamou da quantidade de veículos de fumacê que o municio conta. São quatro carros e a partir de hoje mais seis do Governo do Estado atendem a Capital.

Alcides agradeceu ao apoio do governador André Puccinelli (PMDB) pela cedência de veículos e o auxilio da Secretaria Estadual de Saúde.

O Ministério da Saúde repassou R$ 900 mil para o combate ao Aedes aegypti.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário