ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, DOMINGO  19    CAMPO GRANDE 16º

Capital

Com aumento de frota, combate à Dengue será intensificado em bairros da Capital

Prefeitura entregou sete motocicletas e um automóvel zero quilômetro para a CCEV nesta segunda-feira

Por Mylena Fraiha | 19/02/2024 17:19
Veículos entregues durante solenidade no Parque Ayrton Senna, no bairro Aero Rancho (Foto: Divulgação)
Veículos entregues durante solenidade no Parque Ayrton Senna, no bairro Aero Rancho (Foto: Divulgação)

Nesta segunda-feira (19), a Prefeitura de Campo Grande, por meio da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), deu início a uma ação intensiva de combate ao mosquito Aedes aegypti no Bairro Aero Rancho. A iniciativa inclui a entrega de sete motocicletas e um automóvel zero quilômetro para a CCEV (Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais).

Os novos veículos se juntam à frota da CCEV, que já conta com 61 motos, 27 carros e 1 caminhão, reforçando as ações de controle de vetores e serviços administrativos. A ação ocorre em um momento crucial, visto que a cidade registrou 942 casos de dengue somente neste ano, até o dia 14 de fevereiro.

Durante os próximos dez dias, cerca de 300 agentes estarão mobilizados no trabalho de vistoria domiciliar, orientação e eliminação de criadouros do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. A mobilização inclui a participação dos Agentes Comunitários de Saúde, do Conselho Local de Saúde e de lideranças comunitárias da região.

Conscientização - Durante a entrega dos veículos, a secretária municipal de Saúde, Rosana Leite de Melo, enfatiza a importância da colaboração da população no combate ao Aedes aegypti. Ela destaca que a recepção aos agentes é fundamental para o sucesso da iniciativa.

Secretária municipal de Saúde, Rosana de Melo, enfatiza a importância da colaboração da população no combate ao Aedes aegypti (Foto: Divulgação)
Secretária municipal de Saúde, Rosana de Melo, enfatiza a importância da colaboração da população no combate ao Aedes aegypti (Foto: Divulgação)

"Nós temos percebido que há um número expressivo de imóveis fechados e um pouco de resistência em relação ao trabalho de vistoria do agente, e isso nos chama a atenção. Pedimos que recebam bem nossos servidores que estarão devidamente identificados e à disposição para orientar e combater o mosquito", comenta Rosana.

Residente do Aero Rancho há mais de três décadas, Maria Andreia da Silva, 80 anos, assegura que cumpre sua parte e não dá oportunidade ao mosquito. Ela expressou sua admiração pelo trabalho dos profissionais e enfatizou a importância da colaboração de todos.

"Em nossa residência, sempre nos dedicamos a evitar acúmulo de água parada. Estou ciente dos graves riscos da dengue, que pode até mesmo ser fatal. Evitar essa doença é algo muito simples. Basta cuidar do nosso quintal. Se cada indivíduo fizer sua parte, com certeza estaremos protegidos de enfermidades", afirmou.

Casos - Até o momento, Campo Grande não registrou casos de zika neste ano, e apenas um caso de chikungunya foi notificado. A redução significativa nos casos de dengue na capital, especialmente no segundo semestre de 2023, mostra os esforços das autoridades e da comunidade no combate ao vetor.

O LIRAa (Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti) realizado em janeiro identificou três bairros com risco de infestação, 42 em situação de alerta e 28 com situação satisfatória. A cidade apresenta o menor índice entre os municípios de Mato Grosso do Sul, enquanto outras cidades pelo país enfrentam números alarmantes da doença.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias