ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SEGUNDA  25    CAMPO GRANDE 18º

Capital

Com baixa procura nesta etapa, 12 farmácias têm vacina contra a gripe sobrando

A partir de 16 de abril, presidiários serão vacinados e profissionais de forças de segurança

Por Anahi Zurutuza | 08/04/2020 14:24
Idosa é vacinada em farmácia da Capital (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)
Idosa é vacinada em farmácia da Capital (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)

A procura desenfreada pela vacina contra a gripe fez a doses esgotarem mais de uma vez no início da campanha de vacinação, mas agora doses estão sobrando em algumas das farmácias que se organizaram para fazer a aplicação em Campo Grande.

Segundo a prefeitura, há 12 locais na Capital onde idosos e profissionais de saúde ainda podem se imunizar. Veja:

  • Droga 10 – Rua Tembes, nº 374, Vila Jussara
  • Droga 10 – Rua Fentini, n°545, Universitário
  • Droga 10 – Avenida Cafezais, n°1899, Jardim Macaúba
  • Droga 10 – Avenida Bandeirantes, n° 1001 – Amambaí
  • Ultrapopular – Avenida Raquel de Querioz, n° 928, Aero Rancho
  • Farmácia Popular – Rua Padre Mussatuna, n° 689, Jardim Itamaracá
  • Farmácia Popular – Rua Pará, n° 732, São Jorge da Lagoa
  • Farmácia + Popular F-07 – Avenida Costa e Silva, n° 70, Vila Progresso
  • Farmácia + Popular F-15 – Avenida José Barbosa Rodrigues, n° 2546, Bosque das Araras
  • Drogaria São Bento – Rua Olímpio Klafke, n° 208, Mata do Jacinto
  • Drogaria São Bento – Avenida Guaicurus, n° 3920, Bairro Universitário
  • Droga Raia – Rua Jerônyma Paes Benjamim, n° 14, Jardim São Bento

Calendário - A campanha de vacinação contra a gripe começou no dia 24 de março e, em menos de 24 horas todas as doses tinham se esgotado. Nos dias posteriores tanto as 10 unidades de saúde onde tendas foram instaladas especialmente para a vacinação quanto as drogarias conveniadas foram reabastecidas.

Ao todo, ainda conforme a prefeitura, são 51 farmácias autorizadas a fazer a aplicação, numa estratégia da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) para descentralizar a imunização do público-alvo. Mas, em algumas delas, a procura foi tão baixa, que sobram até 90 doses nas geladeiras.

A partir de 16 de abril, presidiários serão vacinados e profissionais de forças de segurança, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais poderão procurar o imunizante.