A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

02/08/2014 11:42

Com novo barato e reforma cara, Capital vira a "cidade do sofá"

Filipe Prado
Por conta da facilidade, comprar um novo é mais rentável do que reformar (Foto: Marcelo Calazans)Por conta da facilidade, comprar um novo é mais rentável do que reformar (Foto: Marcelo Calazans)

Em quase toda a periferia de Campo Grande é fácil encontrar um ponto onde os moradores acumulam lixo. Em todos os locais, dentre os itens mais encontrados está o sofá. Com o preço de reforma alto e as facilidades de pagamentos de novo, os campo-grandenses optam por descartarem o móvel velho pelas ruas da Capital.

No Bairro Santa Emília, a Avenida Wilson Paes de Barros já é conhecida pelos campo-grandense. Não é difícil encontrar de três a quatro sofás jogados pela rua. Para o encarregado de ferragens Antônio Mariano Sobrinho, 50 anos, as pessoas preferem comprar sofás novos do que reformar os antigos.

Mas ele afirmou que não é só no Santa Emília que já encontrou sofás jogados. “Estão em todos os lugares”, comentou. Ele imagina que as pessoas jogam o sofá na rua, porque não sabem se há um lugar específico para isso.

Um aposentado, que não quis se identificar, disse que no Bairro São Conrado há muitos sofás espalhados. “Eu encontro em lugares fora da área central da cidade”, revelou. Até chamou Campo Grande de "Cidade dos Sofás".

A paraguaia Purificação Benitez, 39, chegou em Campo Grande há pouco tempo e disse é diferente da cidade onde ela veio. “Lá também tem, mas é menos”, alegou. Para ela a causa da quantidade de sofás pela cidade é o desleixo das pessoas e o custo-benefício da reforma.

Antônio afirmou que as pessoas preferem comprar sofás novos do que reformar antigos (Foto: Marcelo Victor)Antônio afirmou que as pessoas preferem comprar sofás novos do que reformar antigos (Foto: Marcelo Victor)

A facilidade de compra de móveis novos ajuda no descarte dos sofás. A gerente de uma loja de conserto de sofás, Anastácia Franco, 49, revelou que a fabricação dos móveis é mais pedida pelos clientes. “Aqui nós dividimos em poucas vezes, em outras lojas eles conseguem parcelar 10 ou mais. Eles tem mais facilidade”, explicou.

Mas ainda a maior dúvida das pessoas é onde jogar o sofá velho. “Nós contratamos uma pessoa para jogar fora, porém não sabemos se o local é adequado para isso. Não sei se existe isso aqui”, comentou.

Conforme a prefeitura de Campo Grande o aterro sanitário municipal pode recebe o material, mas o principal ponto é no aterro de materiais sólidos no Jardim Noroeste. Contudo, o cidadão, não tem autorização para entrar nos aterros. Assim, precisa realizar um cadastro junto ao aterro para poder entrar.

Para facilitar o trabalho, o cidadão pode contratar uma caçamba para recolher o móvel, pois as empresas de caçamba tem autorização para acessar os aterros.

Anastácia contou que, por conta da facilidade, as pessoas preferem comprar móveis novos (Foto: Marcelo Victor)Anastácia contou que, por conta da facilidade, as pessoas preferem comprar móveis novos (Foto: Marcelo Victor)
Vários sofás foram encontrados em ruas do Santa Emília (Foto: Marcelo Victor)Vários sofás foram encontrados em ruas do Santa Emília (Foto: Marcelo Victor)
Na loja de Anastácia eles somente fabricam móveis (Foto: Marcelo Victor)Na loja de Anastácia eles somente fabricam móveis (Foto: Marcelo Victor)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions