A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

11/10/2016 08:48

Com pneumonia e infecção, mulher espera há 12 horas por vaga em UTI

Luana Rodrigues

Angústia e sofrimento já duram mais de doze horas para uma mulher de 52 anos e sua família. Ela está desde às 21h40 de ontem (10), na UPA (Unidade de Pronto Atendimento), aguardando uma vaga numa UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) de um hospital público de Campo Grande.

Conforme a filha, Ivonete Barboza da Silva começou a passar mal ainda na madrugada desta segunda-feira (10). “Ela teve febre, náuseas e a pressão começou a cair muito, então trouxemos para a UPA, mas chegando aqui, o médico que era para atender até as 7h só atendeu até as 5h30 Minha mãe teve que esperar até as 7h40, que foi quando o outro plantonista chegou”, conta Thayara Barboza.

A mulher passou por exames de raio x e sangue ainda de manhã, mas o diagnóstico de pneumonia nos dois pulmões e choque séptico - termo médico usado para designar a falência circulatória aguda - só chegou no fim da noite.

“É um disparate demorarem 17 horas para dar um diagnóstico desses. Foram quatro plantonistas diferentes, horas de dor e sofrimento e o quadro dela só piorou”, considera a filha.

Segundo a Thayara, a mãe está com infecção generalizada e precisa ser transferida com urgência. “Estou em pânico, estou desesperada, porque é minha mãe, porque é um ser humano. Sinto um descaso total, estou me sentindo um nada, porque eu estou aqui dentro há 25 horas e nada!”, desabafa a filha.

Thayara agora tenta atendimento para a mãe pela defensoria pública, mas ainda não há confirmação de que a mulher será encaminhada para a UTI.

O Campo Grande News entrou em contato com as Secretárias de Saúde do Estado e Município e também com o secretário estadual Nelson Tavares, mas as ligações não foram atendidas.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions