A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

20/01/2016 15:03

Com Prefeitura perdida entre buracos, população pede planejamento

Ricardo Campos Jr.
Buraco na Rua Bahia, região central de Campo Grande (Foto: Marcos Ermínio)Buraco na Rua Bahia, região central de Campo Grande (Foto: Marcos Ermínio)
Equipes retomaram tapa buraco na Avenida Três Barras (Foto: Marcos Ermínio)Equipes retomaram tapa buraco na Avenida Três Barras (Foto: Marcos Ermínio)

A população campo-grandense tem questionado o planejamento da operação tapa-buraco que, apesar de contemplar todas as regiões da cidade, está avançando mais em vias afastadas, enquanto ruas centrais ainda não entraram no cronograma. Além disso, em alguns locais novas crateras se misturam a remendos recentes e, em outros, o serviço não é contínuo.

No cruzamento da Avenida Afonso Pena com a Rua 14 de Julho, por exemplo, duas fendas no asfalto atrapalham o trânsito. O local é um dos mais movimentados da cidade, corredor do transporte coletivo, mas ainda não tem previsão de reparo.

Enquanto isso, segundo os três últimos cronogramas divulgados pela assessoria do município, vias vizinhas já foram consertadas, como 13 de Maio e Rui Barbosa. Nesta quarta-feira (20), equipes estão trabalhando na Padre João Crippa e Ernesto Geisel, ao invés de prosseguirem no quadrante central.

“É falta de atenção. Teria que ter mais planejamento, eu acho”, diz a auxiliar de laboratório Shirley Aparecida de Ângelo, 51 anos. Ela afirma ser usuária do transporte coletivo e garante que as ruas por onde seguem os ônibus estão totalmente esburacadas, dando solavancos ao passar nas crateras.

Para o motorista Lucimar José da Silva, 38 anos, falta prioridade. “Eles deveriam ter começado pelas ruas de maior movimento. Tem muitos buracos na cidade toda, eles não estão dando conta”, afirma.

Na Avenida Três Barras, a operação começou há cerca de dois dias na altura dos bairros Rita Vieira e Cristo Redentor.

Hoje, os trabalhadores voltaram a dar atenção à via, porém do lado oposto, a partir do cruzamento com a Eduardo Elias Zahran, onde deixaram para trás uma cratera na alça de acesso na pista sentido Ceará-Costa e Silva. No local, quem vai fazer a conversão a esquerda para entrar na Três Barras não tem como desviar da cratera, reduzindo a velocidade e atrapalhando o trânsito.

Buraco na alça de acesso da Zahran para a Três Barras (Foto: Marcos Ermínio)Buraco na alça de acesso da Zahran para a Três Barras (Foto: Marcos Ermínio)

Na Rua Bahia, o empresário Evandro Lopes, 29 anos, garante que as equipes deixaram buracos sem conserto. “Acho que está faltando planejamento. A empresa não está analisando a região que eles estão dando prioridade. Não adianta tampar uns e deixar outros”, opina.

Outra via complicada é a Ministro João Arinos. As equipes demoraram vários dias para concluir o serviço no local, grande parte dos contratempos ocorreram em razão da chuva. Porém, chama a atenção um remendo feito pelos trabalhadores no cruzamento com a Rua Antônio Augusto Mira, na entrada de uma transportadora, enquanto a poucos metros existe um buraco atrapalhando o trânsito.

Buraco aberto ao lado de remendo recente (Foto: Marcos Ermínio)Buraco aberto ao lado de remendo recente (Foto: Marcos Ermínio)

Já o funcionário público João Barbosa, 48 anos, tem uma opinião mais centrada sobre o assunto. Para ele, a situação de caos urbano em que a cidade está é reflexo da crise política, sendo compreensível que, diante de tantos buracos, o município se perca no conserto. “Eles estão fazendo, mas é muito buraco para dar conta”.

A assessoria de imprensa do município informou que as prioridades na operação tapa-buraco são as ruas por onde passam as linhas de ônibus e as vias de maior movimento.

Nesta quarta o serviço deve passar pelas avenidas Marquês de Pombal, Três Barras, Costa e Silva, Gunter Hans, Gury Marques, Ernesto Geisel, Tamandaré e América; e pelas ruas Trindade, Clineu da Costa Moraes, Manoel Joaquim de Moraes, Joana D’Arc, Mestre Estanislau Panatier e Paulo Coelho Machado.

Buraco na região central (Foto: Marcos Ermínio)Buraco na região central (Foto: Marcos Ermínio)


E enquanto isso, como ficam os bairros? Daqui a pouco não vai mais existir buracos para tapar, porque está quase virando estrada de chão novamente. Claro que existem os lugares que são prioridades, mas se houvesse planejamento e comprometimento, a situação não teria chegado no ponto que chegou. Nunca vi esta cidade desse jeito, tão feia, tão suja. Não sei se sinto raiva, nojo ou vergonha... Esses políticos deveriam parar de ficar jogando a culpa nas administrações anteriores e fazer sua parte, afinal é para isso que estão lá.
 
Isabel Aparecida Arguelho em 20/01/2016 21:32:33
A população vai ter que aguentar bravamente e ainda rezar para que o proximo prefeito seja competente, infelizmente a equipe que forma a prefeitura de Campo Grande hoje não tem a minima capacidade de fazer absolutamente nada pela cidade, não tem mesmo, a empresa que está fechando os buracos tá fazendo o serviço de qualquer jeito, passa dois dias e o buraco tá la de volta, a impressão que dá é que nem asfalto eles estão usando pra tapar os buracos, ou seja, estamos jogando mais e mais dinheiro no lixo, infelizmente foi isso que Campo Grande escolheu atraves dos votos dos nossos cidadãos, é triste mas ao mesmo tempo é bom, para que a população entenda que radialista só tem a voz boa, ele funciona como vereador, mas nunca como prefeito.
 
Max em 20/01/2016 17:33:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions