ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SEGUNDA  17    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Comparsa de serial killer é condenado a oito anos de prisão por homicídio

Adolescente, de 16 anos, foi morta em março de 2016; crime teria sido motivado por vingança

Por Liniker Ribeiro | 23/10/2019 16:33
Wagner Vieira Garcia, comparsa de Nando, durante julgamento nesta quarta-feira (Foto: Henrique Kawaminami)
Wagner Vieira Garcia, comparsa de Nando, durante julgamento nesta quarta-feira (Foto: Henrique Kawaminami)

Wagner Vieira Garcia, de 27 anos, foi condenado a 8 anos de prisão em regime fechado pela morte da adolescente Jenifer Luana Lopes, de 16 anos. Ele é apontado como comparsa de Luiz Alves Martins Filho, o Nando, no crime que aconteceu em março de 2016. Para os jurados, o envolvimento de Wagner foi de menor participação.

A sentença é resultado do julgamento realizado nesta quarta-feira (23) na 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, que acabou na condenação por homicídio qualificado com recurso que dificultou a defesa da vítima.

Pela manhã, durante depoimento, Wagner negou participação no crime. Mas, de acordo com a denúncia do MP/MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), ele teria convencido a jovem a entrar no carro do serial killer, mesmo sabendo da intenção que ele tinha de mata-la. O motivo da execução seria vingança porque Nando desconfiava que havia sido furtado pela vítima.

Wagner contou que conhecia Nando de vista porque moravam no mesmo bairro, mas não mantinham nenhuma relação de amizade. '

O crime - Nando teria decidido matar a adolescente por vingança, depois de supostamente ter sido furtado por ela. Jenifer foi levada para a região de mata no Jardim onde foi morta estrangulada com uma correia de máquina de lavar roupas, em março de 2016.

No mês passado, o serial killer foi julgado pela morte da adolescente e foi condenado a 16 anos e 10 meses de prisão pelo crime.

Nando é acusado de ter matado pelo menos 16 pessoas, entre os anos de 2012 e 2016, e ficou conhecido como um dos maiores serial killers do Estado, pela quantidade e a forma cruel como executava os crimes. As vítimas eram, em maioria, jovens mulheres envolvidas com consumo de drogas e inseridas em contexto de vulnerabilidade social.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário