ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 27º

Capital

Corretora foi morta após descobrir que suspeito é casado, aponta polícia

Após o crime, Fabiano Garcia Sanches lavou sangue da vítima e seguiu rotina de trabalho normal

Por Bruna Marques e Antonio Bispo | 27/05/2024 11:52
A vítima Amalha Cristina Mariano Garcia, 43, e o assassino "confesso", Fabiano Garcia Sanches, de 38 anos (Fotos: Redes sociais e Alex Machado, do Campo Grande News)
A vítima Amalha Cristina Mariano Garcia, 43, e o assassino "confesso", Fabiano Garcia Sanches, de 38 anos (Fotos: Redes sociais e Alex Machado, do Campo Grande News)

Fabiano Garcia Sanches, 38 anos, assassino confesso da corretora de imóveis Amalha Cristina Mariano Garcia, 43, disse em depoimento que crime ocorreu durante briga porque vítima descobriu que ele é casado.

Durante coletiva de imprensa na manhã desta segunda-feira (27), a delegada da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), Analu Ferraz, responsável pelo caso, disse que durante interrogatório, Fabiano informou que conhecia Amalha desde dezembro do ano passado. No inicio o contato dos dois era apenas profissional, uma vez que o assassino queria comprar um imóvel para sua mãe.

“Estava tentando compra um imóvel para mãe que se mudaria para Campo Grande, o primeiro contato foi de corretagem, após visitas no terceiro imóvel marcaram encontros, ficaram, e ela emprestou R$ 700 para ele, valor que foi pago”, explicou.

No dia do crime, Amalha foi até a casa de Fabiano para lhe emprestar mais R$ 900. No local ela descobriu que ele era casado e os dois começaram a discutir. Conforme a delegada, o homem empurrou a vítima e a corretora bateu a cabeça em um vaso de concreto. “Ela desmaiou e começou sangrar muito, desesperado sem saber o que fazer, colocou ela e os pertences no porta-malas do carro e jogou o corpo no Porto Seco”, esclareceu a delegada.

Questionado se ele não pensou em pedir socorro, Fabiano disse que entrou em desespero e só estava pensando em se livrar do corpo porque em duas horas a mãe dele iria chegar com o filho na casa. “Ele voltou para casa, estacionou o carro dela em frente, limpou tudo e depois voltou trabalhar normalmente”.

Nesse meio tempo, Fabiano pensou em se livrar do carro, chegou a anunciar o veículo para venda, porém diante da repercussão do caso, passou a ser questionado pelo receptador e pessoas que tinham interesse em adquirir o automóvel.

Diante disso, no caminho para o trabalho, abandonou o Jeep no terreno de uma casa, no Indubrasil. O carro foi encontrado na quinta-feira (23) e na ocasião, dois moradores foram levados para a delegacia. Os homens disseram que o veículo simplesmente apareceu no local. Durante depoimento, Fabiano disse que os rapazes não tem participação no crime.

Na manhã de hoje, um homem foi preso por receptação, contra ele havia mandado de prisão em aberto. Ele foi ouvido e informou que estava apenas negociando a venda do carro. A mulher dele havia sido presa na sexta-feira, mas foi solta, assim como a esposa de Fabiano. “No carro tinha digital da esposa dele, mas é porque o Fabiano fui buscá-la na rodoviária com o veículo”, disse Analu.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

O depoimento de Fabiano durou cerca de uma hora e mesmo alegando que não teve intenção de tirar a vida da Amalha, “ele teve todo o resto de uma tarde tentando negociar o carro e voltando a trabalhar de uma forma tranquila, normal, inclusive convivendo com o próprio filho”, informou a delegada titular da Deam, Elaine Benicasa.

Cerca de dez pessoas foram ouvidas no decorrer das investigações. As diligências continuarão no sentindo de materializar a versão apresentada por Fabiano. O caso está sendo tratado como feminicídio.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias