A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

10/05/2015 10:20

Denatran estima que 12% da frota da Capital seja recolhida por adulteração

Alan Diógenes
Serão retirados de circulação veículos com motor e número de chassi adulterados, entre outros fatores. (Foto: Alcides Neto/ Arquivo)Serão retirados de circulação veículos com motor e número de chassi adulterados, entre outros fatores. (Foto: Alcides Neto/ Arquivo)
Empresa de vistoria veicular da Capital já recolheu 46 veículos adulterados desde o começo do ano. (Foto: Fernando Antunes)Empresa de vistoria veicular da Capital já recolheu 46 veículos adulterados desde o começo do ano. (Foto: Fernando Antunes)

Com a obrigatoriedade da vistoria veicular, a previsão do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) é de que 12% da frota de 513,7 mil veículos que trafegam em Campo Grande sejam retirados de circulação devido a adulterações. A partir deste ano, todas as empresas de vistoria veicular credenciadas ao Detran/MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) devem encaminhar condutor e veículo com indícios de adulteração dos numerais identificadores à polícia.

Conforme o proprietário de uma empresa de vistoria da Capital, Tony Bitencourt, os dados são do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) e está disponível no site do órgão. Somente em seu estabelecimento 46 veículos com motores adulterados foram recolhidos desde janeiro até este mês.

Apenas em um dia de serviço na empresa, dois carros apresentaram modificações na numeração de chassi. “A nova medida aumentou a segurança da própria população, por exemplo, se você teve um carro roubado ou furtado, será mais fácil para achá-lo. Sem falar que evita acidentes de trânsito”, explicou o empresário.

Ele também ressaltou que a nova medida contribuirá para a redução de acidentes. “Carros sem condições de uso deverão ser retirados de circulação. Isso também aumentará a segurança no trânsito também; evitará acidentes”, comentou Tony.

Veículos com divergência de cadastro no Detran, ou seja, erro na numeração de documento, entre outros fatores, também não passam pela vistoria veicular, mas não são recolhidos. O motorista é aconselhado a resolver o problema no próprio órgão.

A situação aconteceu com o atendente de caixa Heitor Henrique, 23 anos, que teve um erro no registro de sua motocicleta. “No lugar do 5 colocaram um S, vou ter que ir lá para resolver isso. Apesar do transtorno, concordo com a obrigatoriedade a vistoria veicular por que aumenta nossa segurança”, apontou.

O diretor-presidente do Detran, Gerson Claro, afirmou que o número apresentado pelo Denatran é assustador, mas vai ajudar a combater crimes. “Com os dados percebemos que é comum existirem carros roubados ou furtados, então a vistoria obrigatória veio para evitar este tipo de situação. Além disso, vale ressaltar que também existe a lei do desmanche que está em fase de implementação, com ela não vai mais ser possível vender peças de veículos sem nota”, finalizou.

Os veículos adulterados são encaminhados ao pátio do Detran, se o órgão ainda estiver expediente. Fora do horário de atendimento, são encaminhados à Defurv (Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos). Em todo o Estado, 1,3 milhões de veículos circulam pelas ruas. 

Prefeitura e TJ prorrogam renegociação de dívidas ajuizadas até 3ª
O programa de refinanciamento de dívidas da Prefeitura de Campo Grande foi prorrogado até o dia 19 de dezembro, a próxima terça-feira, no Centro de C...
Homem tem corpo queimado em acidente doméstico e morre na Santa Casa
Após dois dias internado, José Loureiro da Cruz, 49 anos, morreu por volta das 6h30 desta sexta-feira (15) na Santa Casa em decorrência de acidente d...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions