ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, DOMINGO  21    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Depois da decadência, velho Oswaldo Cruz espera Habite-se para reabrir renovado

Para manter aspectos históricos, em algumas portas foram retiradas sete camadas de tintas

Por Jackeline Oliveira e Idaicy Solano | 01/12/2023 13:08
Foto da fachada do prédio após revitalização (Foto: Paulo Francis)
Foto da fachada do prédio após revitalização (Foto: Paulo Francis)

As obras do “Colégio Oswaldo Cruz”, erguido entre os anos de 1916 e 1919, entram em fase final de reforma. A revitalização teve início em 2 de agosto de 2021, com previsão de finalização em 2 de maio de 2022, mas demorou bem mais, por conta da decadência da estrutura do prédio que fez história.

Inicialmente, o lugar funcionou como armazém comercial de secos e molhados e em 1927 foi adaptado e transformado em escola com funcionamento até 2010, e vai continuar "ensinando", agora aos profissionais da saúde da Santa Casa, que assumiu o prédio.

Durante visita às obras, na manhã de hoje, foi possível verificar que muitos traços do prédio original foram mantidos, como portas de madeira, armários, pilastras do pátio interno, bem como marcas nas paredes que poderiam ser retiradas na reforma, entretanto, foram preservadas, para manter a memória afetiva do local.

Fachada do prédio do colégio Oswaldo Cruz antes da reforma (Foto: Paulo Francis)
Fachada do prédio do colégio Oswaldo Cruz antes da reforma (Foto: Paulo Francis)

O prédio que mantém até hoje uma fachada imponente foi um dos mais importantes de Campo Grande. O colégio atendia a elite econômica e política da Capital e em 27 de outubro de 1997 foi tombado pela Prefeitura Municipal de Campo Grande por sua importância cultural para a cidade.

Só quando a Santa Casa assumiu o prédio, a recuperação saiu do papel. Equipe do hospital realizou uma visita técnica guiada nas obras de restauração, para apresentar que muito já evoluiu com a terceira fase da reforma, que restaurou os blocos 1, 4 e 5, assim como os sanitários, lavanderia, sala de informática, entre outros.

O prédio entra agora em fase final das obras, com foco na fachada do colégio e finalização do auditório. Mas a data de inauguração só poderá ser definida quando a prefeitura liberar o Habite-se, que é um documento obrigatório que atesta a segurança do imóvel, ele é exigido para comprovação de regularidade da propriedade perante o município.

Local que funcionará como sala de reunião dos professores é o mais preservado do prédio (Foto: Idaicy Solano)
Local que funcionará como sala de reunião dos professores é o mais preservado do prédio (Foto: Idaicy Solano)

Os engenheiros explicaram que a maioria das portas foi mantida e outras são réplicas imitando as originais da época da construção.

O espaço que funcionará como sala de reunião dos professores é o mais preservado do prédio. Foi mantida a estética do piso de madeira, com os armários originais embutidos nas paredes e a porta principal, que passou por um processo  com sete camadas de tinta retiradas para preservar a beleza da porta original na arquitetura.

Mezanino do prédio, onde aconteceu a recepção da visita técnica (Foto: Idaicy Solano)
Mezanino do prédio, onde aconteceu a recepção da visita técnica (Foto: Idaicy Solano)

No mezanino, as paredes tiveram a argamassa raspada, para deixar os tijolos à mostra, mantendo um efeito rústico, assim como o telhado, com madeiramento à vista. Os lustres usando madeira de demolição em contraste com as luzes modernas são o novo no ambiente.

Pilastras do pátio interno e cantina, cujo telhado tem formato de coração (Foto: Idaicy Solano)
Pilastras do pátio interno e cantina, cujo telhado tem formato de coração (Foto: Idaicy Solano)

No pátio interno, a estrutura de colunas que sustenta a cobertura foi mantida como no projeto original. Um marco no projeto de 1916, a cobertura da cantina segue em formato de coração, por ser considerada a alma do prédio.

Banheiro que atenderá os fucionários administrativos da Escola de Saúde (Foto: Idaicy Solano)
Banheiro que atenderá os fucionários administrativos da Escola de Saúde (Foto: Idaicy Solano)

O lugar que mais destoa e menos condiz com a estrutura centenária do prédio na reforma é o banheiro destinado aos funcionários administrativos, com cubas em preto fosco, torneiras douradas e revestimento moderno.

Banheiro reformado com réplica de porta original (Foto: Idaicy Solano)
Banheiro reformado com réplica de porta original (Foto: Idaicy Solano)

O espaço que abrigará a cozinha e os banheiros para os alunos também passou por reforma, entretanto, utilizaram pias, portas e janelas mais simples.

Corredor que dá acesso à sala de especialidades, com paredes e piso claros com janelas de vidros (Foto: Idaicy Solano)
Corredor que dá acesso à sala de especialidades, com paredes e piso claros com janelas de vidros (Foto: Idaicy Solano)

O local que receberá cursos de especialização na área da saúde para residentes de Medicina, enfermeiros e outros profissionais da saúde também pretende se tornar uma faculdade de Medicina.

Então, precisa atender características específicas, bem como ambientes claros, alta incidência de luz e materiais que facilitem a limpeza. Por isso a escolha de paredes e piso claros, janelas de vidro, possibilitando a entrada de luz natural e tornando o projeto mais sustentável, com menor consumo de energia.

Espaço multiuso que futuramente receberá eventos e coquetéis (Foto: Idaicy Solano)
Espaço multiuso que futuramente receberá eventos e coquetéis (Foto: Idaicy Solano)

No Espaço Multiuso, as paredes também foram descascadas para evidenciar os tijolos originais. O local conta com uma arquibancada e servirá para realizações de eventos, como lançamentos de livros, por exemplo. Na parte superior serão colocadas estantes para receberem publicações.

Auditório que ainda será finalizado na quarta fase da reforma (Foto: Idaicy Solano)
Auditório que ainda será finalizado na quarta fase da reforma (Foto: Idaicy Solano)

O auditório tem basicamente a mesma estrutura, mas o piso foi todo substituído por porcelanato. As marcas de antigas portas ou janelas retiradas seguem como lembrança do  passado.

Alir Terra Lima, presidente da Santa Casa durante visita técnica no Oswaldo Cruz (Foto: Idaicy Solano)
Alir Terra Lima, presidente da Santa Casa durante visita técnica no Oswaldo Cruz (Foto: Idaicy Solano)

Sobre a previsão de entrega da obra, a presidente da Santa Casa de Campo Grande, Alir Terra Lima, afirmou que tudo já foi entregue para a liberação do Habite-se.

"Nós já entregamos todos os documentos na Semadur, nas empresas especializadas. Assim que a documentação estiver toda pronta, vai ter a inauguração e a escola da saúde da Santa Casa já vem para esse prédio", explica Alir.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.


Nos siga no Google Notícias