A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

19/03/2011 09:20

Depois de prejuízos com a chuva, moradores sofrem com mosquitos no Santa Emília

Paula Maciulevicius

Terrenos baldios e água empoçada incomoda os moradores

Mulher mostra perna de criança, com marcas de picadasMulher mostra perna de criança, com marcas de picadas

Depois da chuva consecutiva, que inundou casas em diferentes bairros da cidade, moradores sofrem com a quantidade de mosquitos. Quem mora no bairro Santa Emília, em Campo Grande, passou dias a fio na limpeza do que a enxurrada causou e agora tem que lidar com mais esse problema.

Na rotina de dona Leila Arcanjo, espantar inseto já virou hábito. “Precisa fica batendo toalha de um lado para outro o tempo todo, tentando escapar das picadas”, conta.

Durante a tarde, o que mais se vê são moradores em frente às casas, inquietos,com movimentos de quem tenta escapar das picadas.

Segundo os moradores, dormir a noite virou privilégio. Com tanto pernilongo, nem ventilador alivia.

“Tem que dormir com mosquiteiro, e com ventilador ligado, e mesmo assim eles conseguem picar”, conta a moradora Sebastiana Ferreira.

Moradoras em frente de casa, falam sobre tormenta dos mosquitos.Moradoras em frente de casa, falam sobre "tormenta" dos mosquitos.

A população que sofreu com as chuvas, agora encara o que ficou pelo bairro. Vias com água ainda empoçada e vestígios de inundação na varanda. Na Rua Lamego, para a dona de casa Leonida Rezende ir até o quintal, precisa colocar botas. A água da chuva continua no gramado formando a lama.

“Sair de casa para o fundo, só assim. A gente até cortou a grama, para ver seca um pouco. A água transbordou e molhou tudo lá dentro. Moro aqui tem muitos anos e nunca demorou tanto para baixar assim”, relata.

Na tarde em que a equipe do Campo Grande News passou no bairro, encontrou a agente de saúde Rosa Pires. O trabalho dela não tem sido fácil, além dos transtornos das ruas, a infestação de mosquitos tem acompanhado a jornada.

“Tem uma casa ali que nasceram dois gêmeos. A mãe não pode sair com eles de casa. É pernilongo demais”, comenta.

Para a moradora Helena Pereira Santos, a explicação para tanto mosquito vem da quantidade de terrenos mal cuidados. “Aqui tem mais mato do que casa, a gente cuida do nosso terreno, mas se os outros não cuidam. Agora tem que andar batendo até na cara, para não deixar eles picarem”, completa.



Rapaz....aqui no nosso bairro Pioneira e Região o negócio tá brabo...mosquito demais, nunca vi igual, tá parecendo a beira do Rio aquidauana em dia de pesca. Não tem veneno que chega, até pelo preço que é. A única solução tá sendo queimá chifre pra espantar os bichinhos, coitadinhos da Dengue.
 
Valdir Vila em 20/03/2011 08:35:57
URGENTE.....Aqui no Bairro Marcos Roberto perto do novo Shopping (Norte Sul Plaza) onde funcionava o centro de tratamento de esgoto, tem pelo menos umas dez piscinas formada pelas lajes da antiga obra e que passou a ser o criadouro oficial dos mosquitos da dengue, pois como é da prefeitura não tem tem fiscalização então não adianta só cobra dos moradores a responsabilidade de cada um fazer a sua parte, nos estamos fazendo a nossa. Falta a parte que cabe ao Prefeito. Urgente.
 
Maria Dulce em 20/03/2011 04:18:07
Moro no bairro Jardim América, e aqui tambem estamos sofrendo infestações de pernilongo, acho que isso se deve ao mal cuidado dos terrenos, casas e até mesmo nas calçadas de nossa cidade, calçadas essas cheias de mato...e quanto aos terrenos abandonados a prefeitura devia exigir e fiscalizar a limpeza periódica pelos seus donos...Enfim se todos fizessem sua parte a cidade ficaria muito melhor...porq realmente não adianta muito eu limpar minha calçada e a do meu vizinho ser um lixo, infelizmente os insetos que visitam meu vizinho porco me visitam tambem....sem falar é claro da limpeza da cidade prestada pela prefeitura que todos ja conhecem e alguns talvez nunca nem viram...
 
Paula Fernandes em 19/03/2011 11:14:54
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions