ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 18º

Capital

“Ele me escolheu”, diz nova “mãe” do Thor, cão que foi arrastado por veículo

Veterinária que cuidou do cão o adotou e ontem, finalmente, ele foi para casa após mais de 30 dias

Por Mirian Machado e Bruna Marques | 18/05/2022 13:56
Thor no novo lar. (Foto: Reprodução da redes sociais)
Thor no novo lar. (Foto: Reprodução da redes sociais)

Thor, o pitbull de 1 ano e meio, ferido após ser arrastado por corda amarrada em Chevrolet Kadett, viveu dias difíceis, passou por tratamento, mas ontem (17), deu uma "guinada" na vida.

Ele ganhou um novo lar, roupas e até o poder de escolha de onde vai dormir. A médica-veterinária Jessica Santos de Carvalho, de 30 anos, é quem a partir de agora tem a posse do animal.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Quando o vi pela primeira vez, me apaixonei de cara. Até chorei. Ele que me escolheu”, afirmou Jéssica Santos ao Campo Grande News.

A veterinária ajudava no tratamento do Thor na clínica onde o animal foi levado pela ONG (Organização não Governamental) Cão Feliz, após ser resgatado. “Eu cuidava dele à tarde e à noite, impossível não se apaixonar”, contou.

Ainda segundo a veterinária, outro ponto fez com que amasse o animal de primeira. “Ele se parece muito com o Hulk, o pitbull que perdi há 3 meses. Quando o vi, até chorei, porque lembrei do Hulk”, lembrou.

Conforme postado nos stories do Instagram, Thor foi levado pra nova casa ontem. Vídeo mostra ele dentro do carro. Jessica ainda postou o momento em que o novo companheiro escolhe dormir com ela na cama. Assista:

Apesar de se sentir culpada depois de perder o Hulk, Jessica disse que foi na semana passada que tomou a decisão de ficar com Thor. “Eu sofri muito com a perda do Hulk, tinha medo de pegar outro animalzinho. Então, conversei muito em casa, onde moro com meu irmão e um amigo. Foi uma decisão em conjunto. Graças a Deus, aqui em casa todo mundo gosta de cachorro”, explicou.

Thor escolhendo onde dormiria, na cama dele ou da 'mãe'. (Imagem: Redes Sociais)
Thor escolhendo onde dormiria, na cama dele ou da 'mãe'. (Imagem: Redes Sociais)

Após chegar em casa, Thor fez amizade com todos e segundo a nova “mãe”, é bagunceiro, bem interativo e brincalhão. “Fiz um book dele já”, comenta sobre as fotos que começou a postar nas redes sociais.

O tratamento do Thor terminou, agora, a nova “dona” vai esperar passar o frio e melhorar a cicatrização dos ferimentos para então castrar o novo amigo.

Segundo o delegado da Decat (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Ambientais e de Atendimento ao Turista), Maércio Barboza, Thor recebeu um novo lar após a veterinária assinar um termo de responsabilidade sobre o animal. O termo é algo provisório até que saia a decisão definitiva do Judiciário. “Com isso, ela não pode vender, não pode dispor do animal, ela é possuidora. Ao final do processo, pedimos ao Judiciário que se transforme em uma entrega definitiva, uma doação”, afirmou o delegado.

O até então proprietário do animal foi indiciado por maus-tratos.

O caso – No dia 18 de abril, Thor foi levado à delegacia pelo dono, um rapaz de 26 anos, que prestou depoimento. Na ocasião, a médica-veterinária, Layrez Reis, enviada pelo CRMV (Conselho Regional de Medicina Veterinária), examinou o cachorro e constatou que além de várias escoriações pelo corpo, o animal tinha ferida com a musculatura exposta. Ela recomendou que ele fosse internado.

O delegado explicou, naquele dia, que embora o rapaz alegasse que o cachorro tinha sido vítima de uma fatalidade, a omissão no tratamento dele também poderia ser considerada crime de maus-tratos.

Imagem do Thor internado em clínica da Capital. (Foto: Cão Feliz)
Imagem do Thor internado em clínica da Capital. (Foto: Cão Feliz)

Câmera de segurança flagrou o Kadett arrastando cachorro por volta das 15h do dia 11 de abril. As imagens foram enviadas ao canal Direto das Ruas por funcionário de uma empresa que fica na Vila Nhanhá. Conforme noticiado pelo Campo Grande News à época, o homem tentou alcançar o veículo para libertar o cachorro, mas não conseguiu. “Fiquei sem poder fazer nada. O animal tentava se levantar”, lamentou,

No dia seguinte, equipe da Decat foi ao local e conseguiu mais imagens. Diante da repercussão, na quarta-feira (14), advogado Bruno Tamaciro, representando o dono do cachorro, foi à delegacia, explicou a situação e agendou o depoimento do cliente para o dia 18.

Antes da apreensão do animal, o defensor divulgou vídeo em que o tutor explica o que aconteceu, sem revelar a identidade. Thor aparece vestindo uma camiseta. Por isso, não era possível ver os ferimentos pelo corpo, apenas em uma parte da face.

Só a voz do rapaz aparece no vídeo e ele diz não ter percebido que cão estava preso ao veículo. “A minha avó não sabia que eu ia sair com o carro e amarrou o cachorrinho no carro e ele entrou embaixo e eu não vi, não percebi e saí com o veículo. Se eu tivesse visto, eu tinha parado. Eu andei duas quadras e virei para deixar o carro na oficina. Quando eu adentrei que eu vi o meu cachorro na corda atrás do meu carro, na hora, eu fiquei tipo assim: ‘Você perdeu o juízo’. Eu não sabia o que eu fazia. Peguei ele no colo, todo mundo viu a minha sinceridade que realmente eu não sabia que o cachorro estava amarrado no carro de forma alguma.”


Nos siga no Google Notícias