A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

12/09/2011 17:21

Bar diz que todos foram revistados na noite em que segurança foi morto

Ana Paula Carvalho
Em nota, bar lamentou morte de segurança. (Foto: Simão Nogueira)Em nota, bar lamentou morte de segurança. (Foto: Simão Nogueira)

Na tarde desta segunda-feira (12) a equipe do Voodoo Bar e do projeto Brown Sugar encaminharam uma carta à imprensa sobre a morte do segurança Jhon Eder Cortiana Gonçalves, de 33 anos, na madrugada do último domingo.

Na carta, os representantes do bar afirmar sentir intensamente a morte do segurança que era muito querido, tanto pelos frequentadores do estabelecimento, quanto pelos músicos que lá tocavam. De acordo com eles, Jhon fazia parte da família constituída no bar.

A equipe do bar também comentou a declaração de Diego Ferreira de Souza, de 23 anos, que confessou ter atirado contra o segurança. Ele relatou que já estava armado quando entrou no bar. “No dia em questão, todas as pessoas foram revistadas antes de entrar na casa, mas não tínhamos como evitar a presença de armas do lado de fora do bar”, afirma a equipe do bar.

Jhon foi sepultado na manhã desta segunda-feira no cemitério Jardim da Paz sob muita comoção de amigos e familiares.

O caso - Jhon foi morto com dois tiros, um no peito e outro na nuca, por volta das 03h deste domingo em frente ao bar Voodoo, localizada na rua 13 de junho, onde trabalhava como segurança.

Colega do trabalhador, João Antônio dos Santos Cardoso, 22 anos, testemunhou o caso. Ele conta que em um determinado momento um dos rapazes presos pegou sem pedir uma garrafa de vodka do bar.

Ele tentou conversar com os clientes, mas um acertou uma garrafada em sua cabeça. O que deu início a um briga. Outros seguranças do local retiraram os jovens do bar e levaram para a rua.

Os rapazes passaram a danificar veículos que estavam estacionados na via pública. Jhon Eder saiu da casa noturna para conter os autores e acabou atingido por dois tiros.

O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado, mas o segurança chegou morto na unidade de saúde do bairro Coronel Antonino. Jhon Eder trabalhava no local desde que o bar inaugurou, no ano passado. A esposa dele era caixa e ajudava na limpeza do bar. Colegas da vítima não deixaram a mulher ver o marido ferido. O casal tem uma filha de seis anos.

Jhon foi morto em frente ao bar onde trabalhava. Jhon foi morto em frente ao bar onde trabalhava.

Diego Ferreira de Souza, de 23 anos, e Janquiel Marques da Silva júnior, 22 anos, foram presos e autuados em flagrante por homicídio qualificado por motivo torpe. Diego confessou ter atirado no segurança. Ele ainda relatou que já entrou na casa noturna armado.

Mesmo Diego tendo confessado, testemunhas afirmar que foi Janquiel quem atirou. Os dois passaram por exame residuográfico para identificar quem efetuou os disparos. Eles foram presos pela Polícia Militar quando já estavam na Afonso Pena com a avenida Bandeirantes.

Leia a carta na íntegra- A equipe do Voodoo Bar e do projeto Brown Sugar sentem intensamente a tristeza e revolta da perda do funcionário Jhon Eder, que era muito mais que um segurança, era parte da família que ali foi constituída. Sentimos muito também pela perda de sua família, sua esposa Viviane, que também faz parte da família Voodoo Bar, e a filha Vitória. É muito triste presenciar a violência desfazendo mais uma família.

Gostaríamos de ressaltar, nesse momento de tristeza e consternação, que o Voodoo Bar sempre teve uma política de tolerância zero com qualquer tipo de violência, e enorme preocupação com todos os clientes da casa. No dia em questão, todas as pessoas foram revistadas antes de entrar na casa, mas não tínhamos como evitar a presença de armas do lado de fora do bar. A casa também operava dentro de sua capacidade: 300 ingressos foram vendidos e cinco seguranças trabalhavam naquela noite.

Expulsos após um início de confusão, que deixou outro segurança da equipe ferido, os responsáveis pela morte de Jhon continuaram manifestando agressividade do lado de fora do bar, deram chutes na porta, tentaram retornar e depredaram carros estacionados na rua. Preocupado em manter a tranquilidade também do lado de fora do bar, Jhon interviu e acabou sendo vítima dos disparos. A equipe do Voodoo Bar faz questão de ressaltar que esses clientes não estavam armados dentro da casa. Essa arma estaria escondida sob um pedra, próximo à esquina com a Rua Maracaju.

Jhon morreu tentando proteger nossos clientes, que sempre foram recebidos como parte dessa família que trabalha pela música e pela cultura independente.

Neste momento, nossa preocupação é apoiar a família de Jhon, é ficar ao lado de Viviane e Vitória. Pedimos desculpas, pois não estamos em condições de qualquer pronunciamento pessoal, neste momento de tanta tristeza, mas nos colocamos a disposição para quaisquer esclarecimentos.



Jhon Eder era meu amigo antes mesmo de ser segurança. cara gente boa trabalhamos juntos na auto escola uns 10 anos atrás como instrutor.após algum tempo dia quando fui tocar no Fly encontrei ele já como segurança.. levamos maior papo e eu por incrível ainda disse cara volta pra Auto escola vc é um bom instrutor. ele disse ah não cara aqui é muito mais tranquilo. depois disso falamos algumas outras vezes.Hoje é que fui ver que ele é que foi assassinado.que Deus Abençoe e de forças a sua família.
 
Luciano Evaldo Barbosa Silva em 19/09/2011 04:24:57
È MUITO TRISTE PERDER UM AMIGO ASSIM ,MAIS ESSE EO MUNDO EM QUE ESTAMOS VIVENDO E UMA TRISTE REALIDADE OQUE FICA E SAUDADES DOS AMIGOS E DA FAMILIA.....
 
graciela cocian em 13/09/2011 10:48:09
Sempre fui revistado antes de entrar no Voodoo! Senão nem me arriscaria de ir ouvir música de qualidade alternativa (um dos poucos lugares que tem isto em Campo Grande/MS).
Os questionamentos do Tiago Ramires são pertinentes, pelo menos em parte. Inclusive uma coisa que me preocupa naquele ambiente é a falta de uma saída de emergência.
Porém gostaria que o Tiago Ramires entendesse o contexto de nossa realidade, pois para ter aproximadamente 1 segurança a cada 30 pessoas (10 para 300 pessoas) o funcionamento de um estabelecimento destes se torna inviável, e aí quem paga é a população por falta de alternativas culturais (já não basta 95% das casas noturnas em Campo Grande apresetarem música sertaneja e pagode? Já não basta terem fechado o cine cultura?). Penso que o projeto Voodoo, projeto de cunho Cultural, deve permanecer, porém em outro local mais apropriado. Infelizmente os projetos de cunho cultural em Campo Grande não tem Guarita. Quem lembra como era o Sau do Zé Geral, quantas vezes ele teve que trocar de lugar?
Viva a música!
 
Régis Marlo - Mineiro em 13/09/2011 10:20:28
triste demais isso, ainda mais ocorrer em um bar tão bom e tranquilo como o voodoo, e com um cara que parecia estar dando duro pra construir sua vida, trabalhando junto com sua mulher e tendo uma filha de 6 anos.. meus mais sinceros pêsames..
 
Leonardo Hentschke em 13/09/2011 10:03:48
Galera do Voodoo, estamos com vcs! Só quem estava lá, viu o sofrimento da Vivi e o desespero de todos os amigos e colegas, sabe o quanto esse momento foi difícil. Fico um pouco mais confortada em saber que a imprensa, pelo menos o CGNews, está se preocupando em apurar os fatos e versões antes de sair com achismos.
O que me preocupa, além de toda a dor da família e amigos, é que esse espaço tão maravilhoso de cultura e disseminação das bandas e movimentos autorais, tenha sua imagem abalada por tão lamentável fato. Mas acho que temos que nos unir nessa hora, com a consciência de que lugar de bandido é na cadeia, não na balada, e que O VOODDO É NOSSO! Não desistam da luta, meninas!
Jhon, fique em paz, cara, estamos todos com os corações partidos pela sua perda!
 
Suellen Kemp em 13/09/2011 08:41:17
De nada adianta mais pois o Jhon não está mais entre nós, que esses acusados sejam punidos pois lamentamos sua perda entre nós . ;(
 
PETERSON DE ALMEIDA CHAMORRO em 13/09/2011 07:20:20
BOM SOU PROFISSIONAL NA VIGILANCIA - A CULPA E DA CASA NOTURNA QUE QUER ECONOMIZAR, E CONTRATA PESSOAS DIRETAS PARA TRABALHAR DE SEGURANÇA, CADE A EMPRESA RESPONSAVEL PELA SEGURANÇA DA CASA NOTURNA, CADE A DEOPS QUE DEVERIA LIBERAR ALVARA SOMENTE COM APRESENTAÇÃO DE CONTRATO DE UMA EMPRESA LEGALIZADA NA POLICIA FEDERAL, CADE A PREFEITURA QUE LIBEROU A ALTORIZAÇÃO ESPECIAL SEM UMA EMPRESA ALTORIZADA,,,,, PRA COBRAR E BOM MAIS E AGORA?

QUAL E O PAPEL DE UMA EMPRESA ESPECIALIZADA?
1- MONTAR UM PROJETO PARA ATENDER A CASA.
COM UM PUBLICO DE 300 PESSOAS QUE NENM FOI INFORMADO SERIA 10 SEGURANÇAS DOTADOS DE ALGEMAS, CASSETETES,GAS DE PIMENTA , E COM APOIO DA EMPRESA EM CASO DE EMERGENCIA,

NADA DISSO FOI FEITO. ELE NÃO VAI RECEBER OS 06 SEIS MESES DE SALARIO E NEM O SEGURO DE VIDA QUE SERIA SEU DIREITO....

E CULPA DA CASA NOTURNA, DA DEOPS QUE NÃO FISCALIZA, E DA PREFEITURA QUE SO QUE DINHEIRO,,,,

ESTOU MUITO INSASTISFEITO COM ESSA POLITICA ,,,,,,,, QUERO JUSTIÇA PELO QRA JHON EDER AGORAAAAAAAA.
 
TIAGO RAMIRES em 12/09/2011 11:37:26
Teve votação e a população votou para estar armada, agora tem gente reclamando? porque não votou antes.
 
João Pedro em 12/09/2011 08:48:55
Que isso sirva de exemplo a todos os donos de casa noturna, por que la fora não é responsabilidade dos seguranças e sim da policia,e q qnd um segurança não quer ir até lá fora pedir para acabarem com a bagunça ou mesmo pedir para abaixar o som do carro q esteja alto,não é má vontade do segurança e sim pq podem ser recebidos desta mesma forma,realmente é lamentável......meus sentimentos a familia.....
 
Jaqueline Arruda em 12/09/2011 07:41:44
fato lamentável
para mim quem sai armado de casa nunca sai com boa indole
quem sai realmente para se divertir nao se incomoda nao se mete em brigas
agora infelizmente existem pessoas que INFELIZMENTE SÓ QUEREM ARRANJAR BAGUNÇA BRIGAS E SE ACHAM SEMPRE COM RAZÃO;
resultado: MORTE

meus pesames aos familiares deste segurança
 
marcel dos santos nobre em 12/09/2011 07:33:46
Eu conhecia o Jhon Eder ,ele era um grande amigo ,estudamos juntos ,ele era muito bom com todos .E Amigo vai deixar saudades .Que a justiça seja feita.
 
Willian Lopes em 12/09/2011 06:40:17
É uma brincadeira um pai de família perde a vida na mão de vagabundo ,quem deveria estar armado era os segurança que está trabalhando no local...pedimos segurança e justiça.pelo que aconteceu..
 
flavio junio em 12/09/2011 06:23:37
Só tem uma explicação pra tamanha estupidez, arma DEMAIS em Campo Grande , nas mãos de pessoas que já tem má intenção. Lembram do caso na semana passada do menino de 15 que atirou na menina de 12? Outra arma que não deveria estar nas ruas. A gente só tem que rezar pra não estar na frente de uma dessas pessoas , que quando estão armadas, se acham no direito de decidir quem morre e quem vive. Lamentável......
 
Lizeti Aparecida Zanineli em 12/09/2011 05:39:39
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions