A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

07/09/2012 17:14

Estudante de 15 anos é atropelado por carro em marcha contra corrupção

Elverson Cardozo
Acidente aconteceu na Afonso Pena, quase esquina com a rua Padre João Crippa. (Foto: Simão Nogueira)Acidente aconteceu na Afonso Pena, quase esquina com a rua Padre João Crippa. (Foto: Simão Nogueira)
Estudante foi atendido pelo Samu e encaminhado à Santa Casa de Campo Grande. (Foto: Simão Nogueira)Estudante foi atendido pelo Samu e encaminhado à Santa Casa de Campo Grande. (Foto: Simão Nogueira)

Um estudante de 15 anos foi atropelado por um carro de passeio na tarde desta sexta-feira (7), por volta das 15h20, na avenida Afonso Pena, em Campo Grande, durante a “Marcha do dia do Basta à Corrupção”.

Ranziel de Jesus Oliveira atravessava a avenida quando foi colhido por um Celta branco que era conduzido por Dione Pinheiro de Souza, de 22 anos. O estudante foi arremessado ao parabrisa do veículo.

O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), que atendeu a ocorrência, informou que o garoto não apresentava suspeita de fratura ou traumatismo, mas queixava-se de dores na cabeça. Ele foi encaminhado à Santa Casa de Campo Grande.

Além do motorista, estavam no carro a esposa dele, Thauany Fontebasse Gonçalves, de 20 anos, e a filha de 1 ano, que não se feriram. À reportagem, Dione disse que entrou na Afonso Pena após sair da rua Padre João Crippa. “Ele estava no meio da rua e o sinal estava aberto para mim”, afirmou, se referindo ao garoto atropelado que foi sozinho ao protesto.

Luiz Eduardo Camargo, de 17 anos, que participou da marcha, presenciou o acidente. “Eu estava de costas e ouvi o barulho da freada. Quando virei, o garoto estava sendo atropelado”, disse. “Pela marca de freada ele não estava tão devagar”, supôs.

Falta de segurança - O atropelamento de Ranziel provocou revolta entre os manifestantes. Eles alegam que a Ciptran (Companhia Independente de Policiamento de Trânsito) acompanhou apenas o início do protesto e os “abandonou” no restante do trajeto, ao contrário do que havia sido acordado por meio de documento.

Thainá Espindola afirma que não teve segurança durante o protesto. (Foto: Simão Nogueira)Thainá Espindola afirma que não teve segurança durante o protesto. (Foto: Simão Nogueira)
Documento, segundo estudante, foi entregue na segunda-feira. (Foto: Simão Nogueira)Documento, segundo estudante, foi entregue na segunda-feira. (Foto: Simão Nogueira)

Com o ofício em mãos, a estudante do ensino médio Thainá Espindola Miranda, de 19 anos, afirma que primeiro procurou a Agetran (Agência Municipal de Trânsito), mas o órgão informou que não disponibilizaria agentes por conta de outro evento.

No segunda-feira (3), Thainá foi até a Ciptran, que se disponibilizou a fazer a segurança dos manifestantes durante a passeata, com acompanhamento da saída da Prefeitura - onde foi realizada a concentração - passando pelas ruas 25 de dezembro, 15 de novembro até a Padre João Crippa, na Praça do Rádio Clube, onde o protesto terminou.

“Eu achei que estava tudo bem, que eles estavam nos acompanhando desde lá de trás”, disse. “Mas eles foram só até o início da 15 de novembro”, acrescentou.

O técnico de enfermagem Antônio Sando, de 40 anos, que participou da manifestação, confirma a situação relatada pela estudante. “A Ciptran só fechou a saída, não deu cobertura. Nós viemos sozinhos enquanto o combinado era a polícia apoiar o evento”, disse.

O Campo Grande News tentou, sem sucesso, contato com a Ciptran até o fechamento desta reportagem.

Protesto reuniu cerca de 150 pessoas. (Foto: Simão Nogueira)Protesto reuniu cerca de 150 pessoas. (Foto: Simão Nogueira)

Protesto – Em Campo Grande, a “Marcha do dia do Basta à Corrupção” foi tímida e reuniu, no máximo, 150 pessoas, diferente da última manifestação que levou aproximadamente 400 envolvidos ao centro da cidade.

De máscaras, segurando faixas e com os rostos pintados nas cores da bandeira, os manifestantes pediram um basta na corrupção.

Parados no cruzamento da Afonso Pena com a rua Padre João Crippa eles gritaram em coro: “Você aí parado também já foi roubado”. A situação revoltou alguns motoristas que, sem se importar como evento, aceleravam e buzinavam a todo instante.

Faixas e cartazes exibiam mensagens de alerta, de indignação com a situação vigente no país. “A maior arma da corrupção é sua indiferença”, anunciava um dos textos.

Eu tenho uma filha de 3 ano e que ela tenha uma boa educação”, disse a acadêmica de direito Rose Martins. (Foto: Simão Nogueira)"Eu tenho uma filha de 3 ano e que ela tenha uma boa educação”, disse a acadêmica de direito Rose Martins. (Foto: Simão Nogueira)

De máscara e com o rosto pintado, a acadêmica de direito, Rose Martins, de 22 anos, afirma que a corrupção revolta qualquer um, mas é preciso atitude para mudar a realidade. “Eu tenho uma filha de 3 anos quero que ela tenha uma boa educação”, afirmou, acrescentando que, desta vez, nenhum órgão público apoiou a passeata.

Para Marco Aurelio Costa Beckr Barbosa, de 18 anos, a população é omissa porque foi condicionada, “por vários meios de alienação”, a aceitar qualquer coisa sem questionar. Mas o estudante de direito acredita em mudança e por isso resolveu participar do evento. “Acho que a curto prazo não vai mudar, mas é preciso engajamento”, enfatizou.

Segurando uma vassoura, o aposentando Antonio Alberto, de 66 anos, foi pronto para “varrer a roubalheira”. “No interior do país faltam recursos, mas em Brasília sobra corrupção”, disse.

Ciptran nega que tenha abandonado manifestantes sem apoio na Afonso Pena
Após publicação da reportagem sobre o atropelamento de um jovem que participava da Marcha do dia do Basta à Corrupção, que aconteceu nesta tarde na C...
Brinquedos feitos por detentos são doados para crianças em escola
Parceria feita entre a a Semed (Secretaria Municipal de Educação) e a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) garantiu ne...
Falta de pagamento faz prefeitura suspender hemogramas na rede pública
A falta de pagamento para um fornecedor de insumos fez com que a prefeitura de Campo Grande suspendesse a partir desta quarta-feira (13) a realização...


Não se trata de dar título de eleitor para jovens de 16 anos e muito mesmo a analfabetos, todos tem direito de escolher o que é melhor pra si mesmo. Direitos igual a todos.
Já até imagino sua ignorância e preconceito.
'' Não é o carro e nem a moto que matam pessoas, são pessoas que matam pessoas''
Falta de atenção de ambas as partes, desrespeito, bebida alcoolica, presa, e falta de amor a vida.
 
Evelyn Adriana em 08/09/2012 11:13:43
É claro que o motorista não teve a intenção de atropelar, mas sim por ser burro, pois não sabe que numa curva deve-se diminuir a velocidade quando não se tem visão da pista em que se entra. Isto é uma noção simples de direção defensiva que o motorista não teve capacidade de aprender, infelizmente. Ainda assim, sua fala o exime da culpa, sendo assim, burro e irresponsável.
 
Neri Luiz em 08/09/2012 10:42:29
SESOUBESSEM VOTAR ISSO NOSERIA NESSESSARIO.
DAR TITULO DE ELEITOR PARAMOLEQUES DE 16 ANOS E ANALFABETO DA NISSO. HOJE TEM UMA IDEIA NAO EMAIS OBRIGATORIO A VOTARTITULO DE ELEITOR PARA MAIORES DE 21 ANOS E COM O SEGUNDO GRAU COMPLETO.
AI NOS IAMOS VER OS POLITICOS REBOLAREM PARA CONSEGUIR VOTO.
 
juio junior em 08/09/2012 10:36:24
parabéns pela atitude, estaria concerteza lá mas não soube da mobilizaçao. lamento poucas pessoas se fosse marcha para o dia do tereré estaria bem cheio e por isso que o Brasil é o que é
 
claudio rodrigues em 08/09/2012 07:48:59
José Luís, voce está confundindo o conceito de ir e vir.
 
LEANDRO DUARTE em 07/09/2012 10:22:58
Os manifestantes poderiam estar em casa descansando, mas deixaram de fazer algo em beneficio proprio para lutar por todos. E assim que sao tratados.
Realmente, nós merecemos tudo o que temos.Tributos de primeiro mundo, com serviços de quinta.
Amanha qdo vcs precisarem de hospital, educaçao, estradas sem buracos, alguem for morto no transito ou em um assalto. Nao reclamem!
 
Aline Higa em 07/09/2012 07:59:56
Falta de RESPEITO no transito de Campo Grande.
Os estudantes fazendo manifestaçao contra a corrupçao para o benefício de todos.
Ao invés da populaçao apoiar...o que recebem em troca sao buzinas, imprudencia, falta de respeito e até sao atropelados.
Sao os mesmos que criticam os politicos, mas que nao respeitam o próximo.
 
Aline Higa em 07/09/2012 07:55:03
passei la na hora da manifestação e era certo dar ''BÓ'' pq tava uma bagunça só sem segurança nenhuma....
 
wagno tomassini em 07/09/2012 07:18:51
Pena que a educação desse protesto não existiu, quase fui agredido por esses manifestante bem na hora que eles fecharam a Afonso Pena eu estava passando com a minha motocicleta, sendo que isso fere a constituição em relação a liverdade de ir e vir, querem protestar prostestem, mais q seje com educação!
 
José Luis da Silva em 07/09/2012 07:13:22
Bobeira, se não souber votar, não adianta.A mulher é maioria e não vota nela. O negronãovota em negro, O evangélico não vota no evangélico de outra igreja, o pobre vota em quem nunca andou de onibus, não usa posto de saúde e não estudou em escola pública; vai fazer o que por Ele, se nunca viveu isso.
 
luiz alves em 07/09/2012 06:50:24
Se a imprensa tivesse divulgado que iria acontecer esse evento, com certeza eu teria ido. Mas parece que a nossa imprensa não tem interesse em acabar com a corrupção neste país, principalmente por que vai tocar em quem está no poder. Se a nossa prefeitura e nosso governo estadual quisessem acabar com a corrupção, apoiariam o evento, assim como apoiam shows de gravação de DVDs sertanejos!
 
Luciano Porto em 07/09/2012 06:36:12
A sociedade tem mesmo é que se manisfestar, para por um ponto final em tantas coisas ruins que esta acontecendo.. Não basta só passetas tem que votar certo!!! Não ser um instrumento de de blindagem de poderosos a troco de qualquer coisa..
Quanto ao acidente graças a Deus sem gravidade, pois o pedestre aqui em Campo Grande tambem esta muito abusado, não respeitam sinais verdes, para os veiculos!!
 
CARLOS LIMA em 07/09/2012 06:12:36
Com certeza, os pedestres devem respeitar a sinalização, o que não fazem, mas, pelo que vemos no trânsito, o condutor do veículo provavelmente estava 'impaciente'. Mais cuidado né? tsc. tsc. tsc.
 
Laura Kraemer de Mello em 07/09/2012 05:40:04
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions