ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, SÁBADO  13    CAMPO GRANDE 30º

Capital

Famílias já podem participar de programa que acolhe crianças vulneráveis

Adolescentes também fazer parte do projeto; Interessados precisam ter de 21 a 60 anos

Por Natália Olliver | 22/02/2024 11:17
Famílias podem ficar com acolhidos por até 18 meses (Foto: Divulgação)
Famílias podem ficar com acolhidos por até 18 meses (Foto: Divulgação)

Famílias já podem participar de programa que acolhe crianças e adolescentes vulneráveis na Capital. Os locais funcionarão como casas temporárias por até 18 meses. Para participar os candidatos precisam ter de 21 a 60 anos.

Os acolhidos foram afastados do convívio familiar e estão com medida protetiva decretada pela Justiça. Na casa, os responsáveis terão que garantir educação, amparo familiar, acesso a saúde, lazer, vestuário e alimentação. Os escolhidos para receber as crianças e adolescentes devem passar por um treinamento prévio.

Conforme a SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social), a primeira turma será em março. Além disso, a família acolhedora terá uma ajuda de custo no valor de um salário mínimo.

O intuito do programa “Família acolhedora” é oferecer às crianças e adolescentes estrutura, criação de vínculos e laços afetivos. Cenário mais difícil em unidades de acolhimento coletivas de Campo Grande.

Fabiana Duarte Costa, coordenadora do Núcleo do Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora ressalta que as famílias acolhedoras são pessoas da comunidade, habilitadas e acompanhadas pela assistência social, psicólogos e o Poder Judiciário.

“O Programa permite que crianças e adolescentes mantenham os vínculos com a família biológica, com visitas e contatos mais flexíveis e a própria família acolhedora pode ajudar no restabelecimento destes vínculos, auxiliando na reintegração familiar”.

Dados - No ano anterior, 11 crianças e adolescentes foram acolhidas por meio do programa. Atualmente o serviço conta com apenas 9 famílias cadastradas. O limite máximo estipulado pelo ECA (Estatuto da criança e adolescente) é de até 15 famílias. Conforme a SAS, em seis anos, 59 crianças e adolescentes foram acolhidos.

Para fazer o cadastro é necessário entrar em contato com a secretaria, pelo telefone (67) 3314-4482 ramal 6154  ou (67) 99668-1448.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias