ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, TERÇA  24    CAMPO GRANDE 33º

Capital

"Fique em casa" aumentou em 75% internações por acidentes domésticos

Queimaduras, lesões nos olhos, cortes, fraturas e traumas em geral são alguns do acidentes que motivaram internações

Por Liniker Ribeiro | 22/10/2020 15:40
Médica atendendo criança vítima de acidente doméstico, na Santa Casa de Campo Grande (Foto: Divulgação/Santa Casa)
Médica atendendo criança vítima de acidente doméstico, na Santa Casa de Campo Grande (Foto: Divulgação/Santa Casa)

Acidentes domésticos durante a pandemia, período em que as pessoas passam mais tempo em casa, provocaram aumento de 75% no número de internações na Santa Casa de Campo Grande. Queimaduras, lesões nos olhos, cortes, fraturas e traumas em geral são alguns do acidentes que motivaram 146 internações entre os meses de janeiro e outubro, principalmente de crianças.

Conforme a assessoria de imprensa do hospital, ano passado, no mesmo período, 85 leitos de internação foram ocupados por vítimas destes tipos de acidentes.

O aumento, segundo a Santa Casa, chega a ser superior a média mundial. Segundo dados divulgados pela OMS (Organização Mundial da Saúde), a pandemia fez esses tipos de atendimentos aumentarem 30%, ou seja, Campo Grande registrou mais do que o dobro.

Entre os pacientes que buscaram atendimento, as crianças são maioria. “Esse tipo de acidente pode acontecer em qualquer idade, mas o número de crianças foi muito grande, principalmente com queimaduras. Chegamos a ter aqui na área de queimados dez crianças ao mesmo tempo, um número que pode ser considerado muito alto”, comentou a médica Patrícia Otto de Matos, chefe das enfermarias pediátricas da Santa Casa.

Pessoas como o pequeno Lázaro, de 4 anos. “Foi um grande desespero que não consigo descrever. Estava no banho quando ouvi os gritos e saí para ver o que era. Minha filha já estava com ele no colo e o colocamos no carro e saímos para buscar atendimento. comentou Daniele dos Santos, mãe de Lázaro, que se feriu ao cair de uma porteira no sítio em que a família vivem, na região de Nova Alvorada do Sul, a 120 quilômetros da Capital.

“Por mais que a gente cuide, tem esse minuto de bobeira e, com criança, temos que manter a atenção redobrada”, pontua Daniele.

Entre os casos de acidentes domésticos também foram registradas queimaduras. “Recebemos um paciente vindo do interior que chegou em estado grave após cair dentro de um tacho de doce e teve queimaduras em mais de 70% do corpo. Também teve a situação de uma senhora que varria o quintal e, ao colocar fogo nas folhas, não observou que tinha um frasco de spray aerossol que explodiu, queimando a neta, enfim, uma série de casos principalmente neste período de pandemia”, destacou a médica Patrícia.

Para evitar esse tipo de tragédia, a profissional ressalta a importância da prevenção. “Na cozinha acontece a maior parte dos acidentes, então deve ser evitada a presença de criança. Não apenas com fogo, queimaduras com água, mas também objetivos cortantes e produtos químicos que costumamos guardar no local. Aqui temos muitos casos de famílias que acabaram se intoxicando com sabão de soda, normal em nossa região”, destaca.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário