A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 14 de Novembro de 2018

08/11/2018 10:25

Fiscais cobram R$ 150 de clandestinos em terminais, denunciam ambulantes

Denúncia de esquema de propinas para que não cadastrados pela Agetran possam trabalhar é investigada pelo MPMS

Anahi Zurutuza
Vendedora expõe artesanato no terminal Hércules Maymone (Foto: Anahi Gurgel/Arquivo)Vendedora expõe artesanato no terminal Hércules Maymone (Foto: Anahi Gurgel/Arquivo)

O MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) investiga suposto esquema de pagamento de propina para que fiscais da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) façam “vista grossa” para a presença de vendedores clandestinos nos terminais de ônibus de Campo Grande. A denúncia foi feita por duas ambulantes que trabalha com autorização.

Neide Rosa das Virgens, presidente da Associação Campo-grandense dos Vendedores Ambulantes dos Terminais de Transbordo, e Cleonir Teixeira da Rosa, permissionária, procuraram o MPMS em maio deste ano.

Elas denunciam falhas na fiscalização, que seria esporadica, e também entregaram ao promotor Humberto Lapa Ferri, da 31ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social, prints de um grupo de WhatsApp utilizado pelos clandestinos para avisar sobre a presença de fiscais nas plataformas de embarque e desembarque de passageiros.

Numa das conversas, está o comentário sobre a cobrança de propina. Os interlocutores diz que “o povo paga R$ 150 para eles [fiscais]”, sem citar a periodicidade dos pagamentos.

 

Print de conversa onde clandestinos avisam sobre fiscalização (Foto: Reprodução)Print de conversa onde clandestinos avisam sobre fiscalização (Foto: Reprodução)
Conversa sobre suposta cobrança de propina (Foto: Reprodução)Conversa sobre suposta cobrança de propina (Foto: Reprodução)

O promotor já ouviu as denunciantes e pediu à Agetran os nomes dos servidores que trabalham neste tipo de fiscalização. São 13 no total, conforme ofício enviado pela agência à promotoria.

Lapa Ferri também pediu à Delegacia-Geral da Polícia Civil determine a instauração de inquérito policial.

Sistema – Campo Grande tem oito terminais de transbordo – Moreninhas, Guaicurus, Morenão, Hércules Maymone, Nova Bahia, General Osório, Bandeirantes, Aero Rancho e Júlio de Castilhos – e neles, 135 vendedores podem trabalhar na venda de salgados, doces, capinhas para celular, meias, guarda-chuvas, eletrônicos, dentre outros produtos. Nas plataformas, também funcionam cantinas cujo direito à exploração dos espaços é adquirido por meio de licitação.

Desde janeiro do ano passado, só é permitida e entrada dos ambulantes cadastrados pela Agetran. As 135 vagas para titulares e suplentes foram sorteadas.

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) afirma que se ficar comprovado esquema de propinas, “a punição será automática”.

Prefeitura faz sorteio de 52 vagas para ambulantes em terminais de ônibus
Foi realizado nesta terça-feira (28) o sorteio das 52 vagas remanescentes para ambulantes nos terminais do transporte coletivo de Campo Grande. O eve...
Novo sorteio para ambulantes atuarem em terminais será na próxima semana
Os vendedores ambulantes que não foram sorteados no dia 23 de janeiro para atuarem em terminais de ônibus podem participar de uma nova concorrência. ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions