ACOMPANHE-NOS    
JULHO, TERÇA  14    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Gerente de UBS desmente sindicalista pré-candidato

“Não passei para ninguém”, afirma servidora depois de polêmica sobre sintomas da covid-19

Por Anahi Zurutuza | 05/06/2020 15:29
Primeiro exame feito pela servidora já havia dado negativo; depois, outros dois testes confirmaram o resultado (Foto: Reprodução)
Primeiro exame feito pela servidora já havia dado negativo; depois, outros dois testes confirmaram o resultado (Foto: Reprodução)

Ainda internada no Hospital El Kadri de Campo Grande, com pneumonia, a servidora municipal Kátia Adriane Cruz dos Santos gravou vídeo para desmentir o sindicalista Marcos Tabosa, presidente licenciado do sindicato dos servidores municipais e pré-candidato a vereador, que disseminou a informação falsa de que ela estaria com o coronavírus.

Tabosa, também em vídeo, que circulou nas redes sociais, acusou o prefeito Marquinhos Trad (PSD) de manter funcionando o posto de saúde onde ela trabalha. O sindicalista disse que a funcionária estava com covid-19 e teve contato com colegas de trabalho.

Kátia é gerente da UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) Dr. Cláudio Luiz Fontanillas Fragelli, localizada no Jardim Noroeste, em Campo Grande. Ela apresentou os primeiros sintomas de doença respiratória no dia 25 de maio e piorou cinco dias depois, mas três testes deram negativo para a infecção do novo coronavírus, segundo a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública).

“Não tive covid-19, eu tive uma pneumonia. Já tenho doenças de base, tenho asma, fibromialgia, doenças que complicam quem tem essas dificuldades respiratórias. Estou aqui muito bem, estou mantida aqui por segurança e autorizo a divulgação de todos os meus prontuários para provar que eu não tinha covid e não disseminei essa doença para ninguém”, afirma Kátia no vídeo. Veja:


Na transmissão ao vivo da tarde de quarta-feira (3), o prefeito também comentou o assunto. “A informação é enganosa, é mentirosa. A funcionária pública submeteu-se a três testes e os três deram negativo. Cabe aqui a gente a fazer esse esclarecimento”, disse o chefe do Executivo municipal, acrescentando que a família da servidora chegou a receber ameaças e autorizou, por isso, a divulgação dos resultados dos exames.

Também no dia 3, Tabosa afirmou ao Campo Grande News que não voltava atrás no que havia dito em vídeo divulgado nas redes sociais porque recebeu a informação de uma fonte segura, buscou respostas com o Prefeitura e como não obteve retorno, decidiu fazer o alerta.

Ele tem pretensões políticas e por isso está licenciado da presidência do Sisem (Sindicato dos Servidores Municipais de Campo Grande) desde o dia 1º.