A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

11/10/2012 14:44

Gestante perde bebê de 9 meses e família acusa maternidade de negligência

Viviane Oliveira
A família acusa o hospital de negligência médica. (Foto: João Garrigó)A família acusa o hospital de negligência médica. (Foto: João Garrigó)

Uma jovem de 25 anos ficou com o bebê morto na barriga por mais de cinco horas desta quinta-feira (11) na Maternidade Cândido Mariano, em Campo Grande. A família da gestante Elly Sandre Martins Medeiros reclama de negligência por parte do hospital.

De acordo com a tia da paciente, Sirley Martins, 38 anos, o bebê era para ter nascido no dia 3 de outubro, porém a médica plantonista que a atendeu pelo SUS (Sistema Único de Saúde) na maternidade, disse para esperar mais duas semanas para ser realizado o parto, que já estava determinado que seria cesária por causa do tamanho da criança.

Elly Sandre, que fez todo pré-natal no posto de saúde do bairro Nova Lima, retornou ontem à noite na maternidade reclamando de dores. O médico fez uma ultrassom e marcou a cirurgia para hoje às 7 horas.

Como ela estava com cólica, ele receitou um medicamento para dor e pediu para que a gestante retornasse nesta quinta-feira. “O bebê estava bem ontem à noite, porém não sei por qual motivo a cirurgia não foi realizada”, lamenta Sirley.

Segundo a tia, hoje de manhã ao dar entrada no hospital, a família recebeu a notícia do mesmo médico que havia atendido a paciente ontem, de que o bebê estava morto. “Isso é falta de respeito com as pessoas”, disse.

Ao ser solicitado pela família o exame de necropsia - para determinar a causa da morte do bebê - o hospital, afirma a família, cobrou o valor de R$ 1 mil pelo documento. “Isso é um absurdo, vamos procurar a delegacia e registrar um boletim de ocorrência”, finaliza a tia. 

Elly Sandre tem uma filha de 2 anos e aguardava a chegada de Alice. "Ela está muito abalada. Imagina você ficar com um bebê, que já estava formado morto na sua barriga", questiona Sirley. 

A recepção da Maternidade Cândido Mariano informou que os responsáveis pelo hospital só retornam na segunda-feira e no momento não havia ninguém que pudesse comentar o caso.  

Terminal rodoviário de Campo Grande oferece cartões de Natal gratuitos
A rodoviária de Campo Grande, mais um ano, oferece gratuitamente cartões de Natal gratuitamente para os passageiros que passarem pelo local até o pró...
Universidade do MS recebe certificação de excelência em gestão
Será recebida pela UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) em solenidade que acontece na próxima segunda-feira (18) o certificado de excelência em ges...
Águas Guariroba continua com campanha de renegociação de dívidas
Vai até o dia 29 deste mês a campanha "Fique em Dia", realizada pela Águas Guariroba para renegociar as dívidas que os consumidores têm com a empresa...


Novamente isso acontece na mesma unidade de saúde.Também já fui muito mal atendida lá,mesmo com plano de saúde! O poder público não enxerga que existe algo de errado no fato de que em lugar de vida uma maternidade traz tantas mortes? Há uma negativa veemente em executar parto cesárea e coloca as vidas em risco das mães e filhos.Tem que começar a cassar registros de uns e cadeia para outros.
 
Glayce Silva em 15/10/2012 14:57:26
ISSO É DESUMANO, MÉDICOS QUE NÃO CUMPREM SEU JURAMENTO DE ZELAR PELA VIDA, UMA CRIANÇA, UMA PESSOA, UMA VIDA FOI PERDIDA, ATÉ QUANDO?
EU PASSEI POR MOMENTOS HORRÍVEIS NA MATERNIDADE, SOFRI POR MAIS DE 20 HRS ESPERANDO PARTO NORMAL, QUASE PERDI MINHA FILHA, DESMAIEI VARIAS VEZES DURANTE O PARTO E OS MÉDICOS TENTANDO NORMAL..GRAÇAS A DEUS DEU TUDO CERTO, MAS INFELIZMENTE ALICE FOI NEGLIGENCIADA POR INÚTEIS QUE ESTÃO APENAS COMENDO DINHEIRO PÚBLICO. ATÉ QUANDO ISSO?
 
Karine Ozga em 12/10/2012 11:41:07
Penso que não devemos falar mal do Brasil porque não temos conhecimento de como funciona a saúde em outros países e mesmo porque é aqui que vivemos. Os candidatos a prefeito falam em humanização da sáude, a palavra mais usada nesta campanha foi humanização, na minha modesta opinião o que falta é comprometimento dos profissionais com o ser humano, o que esta faltando é amor, se as pessoas considerassem o 2º mandamento da lei de Deus, amai o próximo como a ti mesmo muita coisa seria diferente.
 
Elisa Delgado em 12/10/2012 11:04:29
falta de compaixão pelas pessoas, estive com minha sobrinha o tempo todo , depois que a falamos k iamos registrar um boletim de ocorrencia , que foram atender melhor ela , ela estava com o bb morto com dores , chamei a enfermeira e perguntei se iria demorar , a enfermeira chamou a medica, k me disse k tinha tres partos de bb vivo k davam prioridade a isso ,ai eu disse mais o nosso bb estav vivi ontem , e k ela podia enduzir oa parto normal eu fiquei em choque minha sorinha ia passar por mais um tralma ,por que o bb pesava 4,880, e nimquem sabia disso a ultrasom deles ta ultrapassada. agora vamos velar o Alice . não sei o k acontece as mulheres ja estao tão fragilizadas e são tratadas mal, todas as gravidas estão em panico . e ninquem ve isso .
 
cirley martins em 12/10/2012 09:55:31
sem contar o atendimento da recepção que é lamentavel. As meninas não tem preparo algum p/ lidar com atendimento de paciente.
 
SILVIA RIBEIRO DE BRITO em 12/10/2012 07:52:24
Estava de 8 meses quando procurei a Candido Mariano, um médico antigo de lá me atendeu mal e porcamente. Plantão de segunda-feira, uma vergonha.
 
SILVIA RIBEIRO DE BRITO em 12/10/2012 07:49:31
é extremamente absurdo, meu filho nasceu a exatamente 21 dias na mesma maternidade, e se não fosse por eu ter brigado na recepção da mesma, tinham mandado agente para outro lugar, alegando que estava ceio e que não tinha vagas. sem contar que existe alguns funcionarios que acham que estão nos fazendo um favor e querem nos tratar como cachorro.
 
uillian rodrigues em 11/10/2012 22:41:22
Para que haja justiça social basta que os indivíduos sejam considerados cidadãos tendo seus direitos respeitados com plenitude.
 
Ludmila Batista em 11/10/2012 21:18:55
Fico indignada em mais uma vez presenciar um caso como este. Há aproximadamente cinco anos atrás conheci uma moça que teve uma filha com necessidades especiais devido ter passado do tempo de nascimento. Ela me relatou que passou alguns dias gritando de dor na Santa Casa de Campo Grande...esse procedimento resultou no nascimento de uma criança que apresentou sequelas.Na época a moça tinha grandes dificuldades profissionais devido a ter que disponibilizar um tempo maior para a filha que não tinha coordenação motora e seu desenvolvimento cognição era parcial. Qualidade no atendimento é priorizar a vida do paciente e de sua família. O que é um pequeno detalhe para um profissional irresponsável é uma negligência que pode vai acabar com a vida do paciente e com os sonhos de toda uma família.
 
Ludmila Batista em 11/10/2012 21:15:16
Estou grávida de 7 meses e infelizmente não tenho outra saída, se não ter minha filha pelo SUS. Tenho duas cesáreas e li muita coisa sobre o terceiro filho ter que nascer por cesárea tbm, por se correr o risco de um rompimento do útero na tentativa de um parto normal.
Já estava com medo, agora o meu medo aumentou e muito já que pelo visto não se pode confiar nos médicos que atendem na maternidade, aonde estou, justamente, fazendo meu pré-natal.
 
Karla Coelho em 11/10/2012 20:44:49
E ainda tem muitas pessoas que reclamam dos planos de saude, é nesta hora q temos q agradecer pelo otimo plano q temos. E quanto aos futuros prefeito o q diz sobre a péssima assistencia dada pelo SUS. Isso é uma vergonha o nosso dinheiro indo em impostos e nada feito pela população, q Deus conforte essa mãe e sua familia..
 
EDINA FABEIK em 11/10/2012 20:16:27
Isso é desumano, médicos fazendo pouco caso, brincando com vidas, isso não se faz. Falta de Etica, pra eles só importa o dinheiro , não tem um pingo de respeito .. tem que processar a JUSTIÇA tem que ser feita porque ate quando isso vai continuar aconteçendo no Brasil. uma vergonha.. meus sentimentos . .. minha familia em luto.
 
Chendy Martins em 11/10/2012 20:02:38
Acredito que a administração da referida maternidade tenha que verificar exatamente o que está acontecendo com o atendimento, pois na semana passada minha sobrinha que também estava de nove meses chegou à maternidade Cândido Mariano reclamando de dores, o médico que a atendeu disse pra que ela voltasse pra casa....a sorte foi que minha cunhada, como minha sobrinha ainda reclamava de dor, a levou pra Santa Casa e vcs não imaginam...o médico que atendeu minha sobrinha na Santa Casa disse que ia fazer uma cesária com urgência pq a bebê estava com as batidas do coração bem lentas e se não feita a cirurgia rapidamente ela poderia morrer....digo, é um absurdo o que está ocorrendo na Maternidade cândido Mariano...isso tem que ser seriamente investigado!
 
Luciana F. C. Gonçalves em 11/10/2012 17:11:21
lamento muito pela Ellysandre, pois sei o quanto e dificil preciar de atendimento medico e nao conseguir ou ficar esperando por horas, mas hoje que tenho um convenio medico ainda passo por dificuldades quando preciso de atendimento emergencial, hoje mesmo passei por isso com minha filha em um hospital particular, e nao foi a primeira vez.
 
fabiana lopes em 11/10/2012 16:48:22
Isso é Brasil, negligência total...
 
Elias Felisberto Rodrigues em 11/10/2012 16:40:41
Tinha que ser essa maternidade, que mais uma vez, trata as pessoas como lixo.
Já postei uns dois ou três comentários em tragédias anteriores sobre esse local, que no meu ponto de vista deveria ser investigado pela polícia ou MPE.
Já acompanhei, duas pessoas em datas diferentes, o tratamento uma verdadeira DROGA...a primeira paciente, esposa do capataz do meu pai, que estava com início de aborto, veio na ambulância do interior c/ enfermeira.Tanto paciente quanto o pessoal da ambulância foram maltratados, em seguida me ligaram e fui até à maternidade, foi um horror, deu vontade arrebentar todos da recepção.Dispensei a ambulancia, p/ retornar a sua cidade e com a dona lavada em sangue a levei para nossa querida Santa Casa, onde foi atendida, internada e quase foi a óbito.

 
Neyde de Oliveira em 11/10/2012 16:35:40
favor informar a familia para procurar a AVEM - MS (Associação Vitimas de Erros Médicos) para apoia-la neste caso. Presidente VALDEMAR TEL 9239.6530.
 
MATEUS COSTA em 11/10/2012 15:01:33
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions